21/06/2011

Secretaria de Energia promove debate sobre automação

A Secretaria de Energia do Estado de São Paulo promoveu na última terça, dia 21 de junho, o “1º Encontro sobre Qualidade no Fornecimento de Energia Elétrica no Estado de São Paulo”, na AES Eletropaulo, no qual foram abordadas questões referentes à automação dos sistemas de transmissão, subtransmissão e distribuição das companhias paulistas.

O evento contou com a participação de engenheiros e técnicos da AES Eletropaulo, EDP Energia Bandeirante, Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP), CPFL, Elektro e Grupo Rede. A Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) e o Sindicato da Indústria de Energia do Estado de São Paulo (Siesp) também estiveram presentes.

O subsecretário de Energia Elétrica da Secretaria de Energia, Arnaldo Silva Neto, fez uma avaliação positiva do encontro. “As empresas tiveram a oportunidade de ver o que seus vizinhos estão fazendo e isto as ajuda a encontrar soluções para que a qualidade da prestação deste serviço público melhore constantemente. E, no final, quem ganha é a população”.

Nos últimos três anos tem se intensificado o esforço das concessionárias de energia elétrica em proporcionar maior segurança digital aos seus sistemas. Essa iniciativa de aprimorar a automação integra os departamentos de engenharia, telecomunicação e tecnologia da informação.

Ao implementá-la, objetiva-se modernizar toda a operação das companhias pois envolve equipamentos de rede, sistemas de monitoramento, comando e comunicação, além de centrais de controle e despacho. Os ganhos obtidos proporcionam confiabilidade porque torna o tempo de solução de determinada interrupção menor. Sem contar que a automação permite isolar o defeito de modo a que um menor número de consumidores seja atingido.

Assim, as distribuidoras protegem seus circuitos ao usar religadores telecomandados e teleinspecionados. E toda a informação dessas manobras é feita em tempo real. Logo, essa integração permite o religamento sem a necessidade de haver alguém no local.

“A cada dia que passa será mais estratégico adotar este recurso tecnológico, pois temos de levar em consideração o fato de o deslocamento de veículos nas grandes cidades ser cada vez mais problemático”, observou Silva Neto. Vale destacar que algumas experiências de autorreconfiguração da rede já estão sendo testadas.

Após os resultados conquistados nesse primeiro seminário, a Secretaria de Energia pretende promover mais seminários deste tipo de três em três meses. Para este ano estão programados outros dois. Um será realizado em agosto, na Bandeirante, em Mogi das Cruzes, e nele será discutido atendimento de emergência. O outro ocorrerá em Campinas, na sede da CPFL, em outubro, e o tema abordado será critérios de planejamento.