19/07/2011

Secretaria de Energia sugere mais investimentos à Eletropaulo

Por avaliar como insuficiente o investimento de R$ 120 milhões anunciado recentemente pela AES Eletropaulo para a melhoria dos serviços prestados à população, a Secretaria de Energia do Estado de São Paulo requereu ontem à direção da empresa investimentos complementares. Tais investimentos devem priorizar o atendimento de emergência (restabelecimento da energia em menor tempo) e o call center.

A Secretaria recomendou que a distribuidora contratasse mais 750 eletricistas (que formam 250 equipes) para atuar exclusivamente na execução de serviços de emergência, manutenção e construção de redes de média e baixa tensão. Inicialmente, a AES Eletropaulo pretende contratar 580 eletricistas (cerca de 180 equipes). Com a recomendação da Secretaria serão 1330 novos eletricistas disponíveis para o atendimento das ocorrências.

Outra recomendação da Secretaria de Energia é que a distribuidora redimensione a Central de Operações – garantindo rapidez no despacho das ocorrências para as equipes – e também seu quadro gerencial, de forma a suportar o aumento do efetivo. Complementa o documento a ampliação de um programa de poda de 260 mil árvores para 460 mil, o que significa um acréscimo de 200 mil árvores por ano.

“O anúncio dos R$ 120 milhões de investimentos foi resultado da pressão dos consumidores e da Secretaria. Entretanto, nossa avaliação é técnica, e concluiu que esse volume de investimentos é insuficiente diante dos problemas que podem advir, principalmente por ocasião das chuvas de verão. Por isso, requeremos que a empresa aumente as contratações, faça as podas necessárias e se prepare”, afirmou o secretário de Energia, José Aníbal.

José Aníbal salientou que a qualidade dos serviços prestados pela Eletropaulo vem caindo substancialmente desde 2007. “No ano passado, a Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo) identificou uma série de problemas na qualidade do serviço da empresa e a multou em quase R$ 27 milhões”, disse o secretário. A expectativa da Secretaria é a de que, com os investimentos adicionais, a tendência de queda na qualidade dos serviços da empresa comece a ser revertida.