06/08/2011

Secretaria da energia faz vistoria em nova subestação da Cteep

O secretário adjunto de Energia do estado de São Paulo, Ricardo Achilles, e o subsecretário de Energia Elétrica, Arnaldo Silva Neto visitaram, dia 5, as obras da subestação Piratininga II da Cteep – Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista. Essa nova subestação com 1200 MVA (megavolt-ampére) tem capacidade suficiente para garantir a segurança e qualidade do abastecimento de aproximadamente 2,4 milhões de moradores da zona Sul de São Paulo. Outra vantagem dessa obra, que estará com 2/3 de sua capacidade em funcionamento em dezembro, será a de aliviar a carga da subestação Bandeirante que opera praticamente no limite.

A subestação Bandeirante (também da Cteep) provocou o blackout de 7 de fevereiro deste ano, que afetou cerca de 2,5 milhões de pessoas em diversos bairros de São Paulo. A partir desse evento a Secretaria de Energia solicitou à transmissora que acelerasse Piratininga II e desde então vem acompanhando as obras. “Na verdade, por determinação do secretário José Aníbal, nós vistoriamos todas as obras voltadas ao fortalecimento, confiabilidade e qualidade do fornecimento de energia no estado”, afirmou Ricardo Achilles. “Se essa subestação já estivesse funcionando o problema de fevereiro, se não fosse evitado, duraria minutos e afetaria um número bem menor de pessoas”.

Para o secretário adjunto e o subsecretário as obras estão bem encaminhadas e dentro do cronograma. “Os equipamentos estão todos comprados e a maior parte já foi entregue. E a empresa não enfrenta nenhum problema com as empreiteiras. Isso é um bom indicador”, avaliam.

O diretor de Operações da Cteep, Celso Cerchiari, também presente, informou que Piratininga II deve funcionar inicialmente com dois bancos com três transformadores cada, num total de 800 MVA.  A energização total está prevista para fevereiro de 2010. Ele explica que a energia chegará até esta nova subestação proveniente da subestação Interlagos, também da transmissora. “A energia sai de Interlagos e chega até Piratininga II com 345 kV e daqui sai para a Eletropaulo com 88 kV”. Cerchiari informa que nas obras de Piratininga e derivação em Interlagos estão sendo investidos R$ 140 milhões. No complexo estão trabalhando 200 pessoas. Os trabalhos que estão sendo executados na subestação Interlagos também foram vistoriadas.

Copa – No que diz respeito ao estado, principalmente a região metropolitana, a orientação da Secretaria de Energia é no sentido de antecipar o quanto antes obras previstas para serem entregues até 2014. Para tanto, a secretaria por meio da Subsecretaria de Energia Elétrica está coordenando com as concessionárias o andamento dessas obras e cuidando para que prazo seja cumprido. “Claro que há a questão da Copa em 2014, mas o que nós queremos mesmo é devolver a confiança do cidadão no sistema elétrico que ele usufrui, principalmente na região metropolitana de São Paulo, onde a situação está bastante sensível. Com isso acabamos favorecendo a Copa, um evento mundial onde também um fornecimento seguro de energia é fundamental”, afirma Achilles.

Na região Sul, por exemplo, além de Piratininga II, está em construção a subestação Jandira, também da Cteep, que fortalecerá os municípios localizados na região Oeste da área metropolitana de São Paulo.