16/09/2011

Secretaria de Energia debate atendimento de emergência em apagões

A Secretaria de Energia promoveu nesta quinta-feira, dia 15 de setembro, o “2º Encontro sobre Qualidade no Fornecimento de Energia Elétrica no Estado de São Paulo”, evento destinado à troca de informações entre governo, agência reguladora e empresas concessionárias.

Realizado nas instalações da EDP Bandeirante, em Mogi das Cruzes, o evento teve por tema o “Atendimento de Emergências”. Além da Secretaria de Energia, estiveram presentes diretores da ARSESP, a agência reguladora paulista, das distribuidoras EDP Bandeirante, Elektro, Grupo Rede, CPFL, AES Eletropaulo e da transmissora Cteep.

Segundo os técnicos e diretores das concessionárias que compareceram ao evento, uma prática que deveria ser incentivada é a formação de turmas próprias para atendimentos de emergência – ao invés do uso de trabalhadores terceirizados.

“O ganho é sempre maior com gente própria, desde o comprometimento, passando pela qualificação técnica e chegando à confiabilidade do serviço executado”, afirmou Ricardo Achilles, secretário-adjunto da Secretaria de Energia.

A Elektro, que distribui energia para 223 municípios e cerca de 2 milhões unidades consumidoras, adota esta iniciativa desde 2005, assim como a CPFL, que atende 300 municípios e 5,4 milhões de unidades consumidoras.

A expectativa é de que a EDP Bandeirante, que atende 28 municípios e 1,4 milhões de clientes, também adote a solução. “Isso tudo é resultado da evolução do corpo técnico das empresas, que têm tecnologia adequada para melhorar a performance nos atendimentos de emergência”, concluiu.

A tecnologia foi outro ponto destacado no encontro. De acordo com os especialistas presentes, a tendência é que as empresas invistam cada vez mais em sistemas de automatização da rede, de modo a religar remotamente os sistemas eventualmente interrompidos. A EDP já está apta a religar à distância 20% de seus consumidores, devendo atingir 30% até o fim do ano. A meta da empresa é religar remotamente até 65% dos consumidores no médio prazo.

O encontro também foi oportuno devido à aproximação do verão, período em que as interrupções são mais frequentes devido às chuvas. De acordo com os técnicos presentes, as empresas estão finalizando os preparativos da “Operação Verão” – um conjunto de ações para minimizar os transtornos aos consumidores e os danos causados à rede elétrica em decorrência dos ventos e temporais de verão.

Ênfase na comunicação

Outra necessidade, segundo os especialistas, é utilizar melhor as ferramentas para a comunicação com o público e a imprensa. A Elektro, por exemplo, abre sua central de operações para a imprensa em dias de ocorrências atípicas. Já o Grupo Rede, coloca uma brigada de técnicos e executivos para contatar autoridades setoriais e municipais, defesa civil, clientes industriais, redações e, dependo da situação, vale-se até de carros de som para falar com seus consumidores.