16/02/2012

São Paulo apresenta setor de energias renováveis para delegação da Finlândia

O subsecretário de Energias Renováveis, Marco Antonio Mroz, participou hoje de almoço com a delegação finlandesa de negócios. Estiveram presentes o primeiro-ministro da Finlândia, Jyrki Katainen, e o Ministro das Relações Exteriores, Alexander Stubb. No encontro foram abordadas possíveis oportunidades de negócios em São Paulo na área de biomassa.

O subsecretário de Energias Renováveis, Marco Mroz, fez uma exposição sobre o setor no estado. “A matriz energética de São Paulo é 57% renovável. São Paulo tem preocupação no desenvolvimento sustentável e para isso criou a Política Estadual de Mudanças Climáticas. Até 2020, o estado terá que reduzir as suas emissões de gases de efeito estufa em 20%, tendo como base o ano de 2005. Acredito que essa seja a perspectiva de uma grande oportunidade econômica de negócios.”

“Hoje, São Paulo subutiliza a energia de biomassa de cana de açúcar, utilizamos cerca de 30% do nosso potencial. Junto à indústria canavieira, chegamos a um acordo para mecanizar toda produção e a queima da palha estará totalmente proibida. Com isso, surge a oportunidade de utilizar a palha da cana para geração de energia. Nós importamos biodiesel. Nosso consumo de biodiesel até 2020 deve aumentar em quatro vezes”, falou o subsecretário sobre as oportunidades de negócio no estado.

O Ministro das Relações Exteriores, Alexander Stubb, destacou em sua fala a importância das exportações para a economia da Finlândia. “Neste momento, 40% do nosso PIB vêm das exportações. Apenas 1% do total se refere às trocas com o Brasil. Se em dois anos nós voltarmos aqui e pudermos dizer que este volume subiu para 3%, nós teremos feito um grande trabalho”.

O Brasil é o terceiro maior parceiro comercial da Finlândia na América Latina. Os setores mais promissores para cooperação entre os países são de água, tecnologia limpa, geração de energia, distribuição e eficiência energética, treinamento e serviços de saúde. Atualmente, os países já colaboram, no âmbito acadêmico onde são parceiros no desenvolvimento de projetos nos setores de energia sustentável, florestal e de tecnologia de biomassa.

Outro foco da visita é a tecnologia marinha e offshore, já que a Finlândia tem tradição e experiência na área de construção naval desde a Segunda Guerra Mundial. São fabricados no país plataformas de perfuração para extração de petróleo e navios de pesquisa, entre outros.

Fapesp – após o evento, o primeiro- ministro da Finlândia seguiu para o Palácio dos Bandeirantes. Na sede do governo paulista ele se encontrou com o governador Geraldo Alckmin, os secretários José Aníbal (Energia) e Paulo Alexandre Barbosa (Desenvolvimento), o presidente da Fapesp  Celso Lafer e demais autoridades. Na ocasião foi assinado um protocolo de intenções entre a Fundação de Amparo a Pesquisa do Governo do Estado de São Paulo e a Academia da Finlândia (AKA Academy). O convênio tem como objetivo apoiar projetos conjuntos de pesquisa.