21/03/2012

Secretaria de Energia assina convênio para inclusão de ‘Eficiência Energética’ no currículo do ensino técnico

O secretário de Energia, José Aníbal, a diretora superintendente do Centro Paula Souza, Laura Laganá, e o diretor da Elektro, Max Xavier, assinaram hoje convênio para a inclusão da disciplina de Eficiência Energética nos cursos de ensino técnico do Governo do Estado. A partir do segundo semestre deste ano oito escolas e duas faculdades de tecnologia nas cidades de Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Limeira, Rio Claro, Araras, Ilha Solteira, Itapeva e Tatuí já terão aulas de eficiência energética nos cursos de elétrica.

“Essa é a primeira parceria que o Governo do Estado faz nessa área. A Secretaria de Energia vem conversando com outras empresas de concessão de energia elétrica de São Paulo e vamos levar esse projeto para o maior número possível de escolas e faculdades de tecnologia”, disse Aníbal. Segundo ele, outras empresas do setor – como a CPFL, a EDP Bandeirante e a Eletropaulo – devem assinar convênio em breve com a Secretaria de Energia para a implantação de projeto similar.

Para a professora Laura Laganá a iniciativa vai ao encontro da política pública para o ensino técnico. “A inovação é uma preocupação constante nossa para atrair cada vez mais jovens para o ensino técnico e essa ação da Secretaria de Energia é inovadora”, afirmou.

A Elektro, empresa de distribuição de energia elétrica para o interior de São Paulo vai investir R$ 600 mil na primeira etapa deste projeto. Ele prevê a capacitação de 30 professores no Centro de Excelência em Eficiência Energética (EXCEN) da Universidade Federal de Itajubá. Jamil Haddad, professor da UNIFEI e coordenador do Centro, participou da cerimônia de assinatura do convênio e lembrou do apoio de Aníbal para a tramitação e aprovação da lei de Eficiência Energética na Câmara dos Deputados em 2001.

Na segunda etapa do programa, a Elektro vai investir recursos para a construção de laboratórios de sistemas de iluminação e de motores elétricos e bombas hidráulicas nas escolas técnicas. Até que isso aconteça, os alunos utilizarão os laboratórios do EXCEN à distância, via computador.

“Vamos formar profissionais mais conscientes. Os alunos vão difundir conhecimento da área de indústrias, que representam quase 50% de consumo de energia elétrica no país. É um projeto de pequenos recursos, mas grande alcance”, concluiu Max Xavier, diretor da Elektro. A empresa quer expandir a ação para 39 cidades de sua área de concessão.

Também participaram da cerimônia o secretário adjunto de Energia, Ricardo Achilles, o subsecretário de Energia Elétrica, Arnaldo Silva Neto, e o coordenador de Eficiência Energética da Secretaria de Energia, Genésio Betiol, além de outros representantes do Centro Paula Souza e da Elektro.