04/05/2012

CEPE se reúne para ajustes finais no Plano Estadual de Energia

O Conselho Estadual de Política Energética (CEPE) se reuniu na manhã desta quinta-feira na Secretaria de Energia de São Paulo para discutir os ajustes finais no Plano Estadual de Energia.

Além do secretário de Energia de São Paulo, José Aníbal, que preside o CEPE, estiveram presentes o secretário adjunto da pasta, Ricardo Achilles; representantes da Secretaria de Saneamento, Rogério M. de Melo; da Agricultura, Alberto J. Macedo Filho; do Meio Ambiente, Rubens Rizek Jr.; do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Luiz Carlos Quadrelli; do Planejamento e Desenvolvimento Regional, Melissa G. Godói; da Casa Civil, Roberta Buendía; das universidades, prof. Carlos Canesin; da Fecomércio, Sane Sato; da FAESP, Luiz Sutti; e os notórios-saber, David Zyjlbersztajn, José Goldemberg e José Sidnei Martini.

Na reunião foi apresentada a versão preliminar do PEE, cujas linhas mestras são o crescimento da oferta de energéticos para atendimento da demanda futura, o aumento da participação das energias renováveis no consumo final – dos atuais 57% para 69% – e estímulos à eficiência energética. Previsto para o período 2011-2020, o PEE foi elaborado baseado num cenário de manutenção da expectativa de crescimento econômico, de adequação às metas da Política Estadual de Mudanças Climáticas e da integração entre as ações em andamento e as previstas no Plano de Governo (2011-2014).

O físico José Goldemberg sublinhou que “houve um grande avanço no trabalho interno da Secretaria” desde a última reunião do CEPE, e aproveitou para fazer críticas ao atual modelo de leilões da Aneel, que prejudicam, por exemplo, alternativas como o bagaço de cana. O professor Carlos Canesin elogiou o fato de o plano ser decenal, o que permite ajustes e desenvolvimentos anuais. Já David Zyjlbersztajn aludiu à necessidade do PEE trazer mais estímulos econômicos para equipamentos de maior eficiência energética.

De acordo com o cronograma estabelecido, o PEE receberá recomendações finais até o dia 15 de maio. No dia 18, já revisto, será encaminhado aos conselheiros, que darão um parecer final no dia 23. Uma semana depois, no dia 30 de maio, haverá uma reunião para a aprovação do plano.