31/07/2012

Anuário traz perfil de consumo energético dos 645 municípios paulistas

A Secretaria de Energia de São Paulo divulgou nesta terça-feira o Anuário Estatístico de Energéticos por Município no Estado de São Paulo (ano base 2011). O levantamento apresenta dados sobre energia elétrica, gás natural, etanol e derivados de petróleo consumidos pelos 645 municípios paulistas.

“Com esta publicação, o Governo de São Paulo fornece subsídios não apenas para o planejamento energético estadual e municipal, mas também para as demais áreas de interesse público, todas de alguma maneira dependentes de energia”, afirma o secretário de Energia, José Aníbal.

Segundo ele, com informações detalhadas, o Anuário torna-se uma ferramenta importante para uma gestão mais eficiente dos recursos disponíveis, bem como serve de referência para a elaboração de planos de desenvolvimento regional. “Afinal, os números refletem a realidade socioeconômica do Estado”, completa.

De acordo com os dados levantados, o Estado de São Paulo apresentou em 2011 um consumo total de 42.462,32 x 103 toe (tonelada de óleo equivalente). Somente a cidade de São Paulo contribuiu com 18,9% desse total. Dos demais municípios que apresentaram grandes consumos energéticos ao longo de 2011, destacam-se Guarulhos, com 6,3%, seguido por Cubatão, com 4,3%, Campinas, com 2,7%, e Santo André, com 1,8% do total estadual.

A tonelada de óleo equivalente é usada para padronizar todas as unidades de medida. Em energia elétrica, por exemplo, o consumo paulista no último ano foi de 130 mil GWh. Os 15 municípios com maior consumo responderam por 49,5% desse total. A capital apresentou um consumo de 28,5 mil GWh, ou seja, 21,9% do total.

Além dos dados referentes ao consumo do gás natural, do etanol e do derivados de petróleo, o relatório mapeou as emissões de CO2 por município. “Energia, sustentabilidade e desenvolvimento têm de caminhar conjuntamente. O mapeamento permite ao gestor público, ao empresário e ao cidadão um contato mais próximo com os desafios ambientais de sua cidade”, acrescenta Aníbal.