06/08/2012

Estudo avalia disponibilidade de recursos minerais entre Barra Bonita e Araçatuba

A subsecretaria de Mineração encomendou ao Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) um estudo para avaliar a disponibilidade de matérias-primas minerais na área de influência do eixo da Hidrovia Tietê-Paraná, no trecho entre Barra Bonita e Araçatuba. O estudo deve estar concluído em cinco meses.

O objetivo do estudo é avaliar a disponibilidade de insumos para abastecimento das indústrias de cerâmica vermelha em face de possíveis restrições naturais e legais — escassez de matéria-prima e uso e ocupação do solo, entre outras.

A retomada de movimentação de minérios e produtos manufaturados no sistema de transporte da Hidrovia Tietê-Paraná, em território paulista, também será avaliada no estudo. Será considerado o potencial de atração para outros insumos e produtos industriais, não necessariamente minerários.

O estudo compreende os municípios das regiões administrativas de Araçatuba, São José do Rio Preto, Catanduva, Lins, Bauru, Jaú, Araraquara, Botucatu e Piracicaba.

A indústria minero-cerâmica tem produção estimada, na região, de cerca de R$ 100 milhões/ano em produtos cerâmicos, que correspondem a cerca de 5% do valor da produção paulista. São cerca de 50 empreendimentos industriais que absorvem cerca de R$ 5 milhões em matérias-primas de origem mineral extraídos de cerca de 20 concessões de lavra.

As informações do estudo servirão de base para o planejamento da economia regional considerando o suprimento de matéria-prima no futuro. Outro reflexo esperado é incremento de cerca de 5% na produção em cinco anos e reativação em 30% do número atual de concessões de lavra.

Cabe ao IPT a execução do estudo, mas a coordenação e a fiscalização estão a cargo da Secretaria de Energia.

Clique aqui para ver o mapa com os municípios abrangidos pelo projeto