12/09/2012

Secretário de SP diz que cálculos da Cesp envolvem “bilhões”

O secretário de Energia de São Paulo, José Aníbal, defendeu ontem uma negociação com o governo federal para que o Estado não perca com o cálculo dos ativos da Cesp, geradora estadual de energia. A preocupação é em torno dos valores que serão reconhecido como investimentos já feitos e ainda não amortizados. Ele não informou qual o cálculo que o Estado e a empresa fazem sobre esses valores, mas disse que eles somam “bilhões de reais”. “Tenho confiança de que faremos uma boa negociação. Não podemos ter perdas”, defendeu, lembrando que ativos da Companhia Energética de São Paulo (Cesp) ainda não estão completamente amortizados.

Ele disse ainda que a renovação dos contratos por 30 anos é maior do que o esperado (20 anos), mas ressalta que as condições que serão apresentadas são determinantes para o negócio das concessionárias. “Esperamos saber o custo de operação das empresas que administramos”, afirma.

Já possíveis desonerações do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) foram descartadas pelo secretário. A energia representa 7,5% da arrecadação ICMS em São Paulo, que, segundo Aníbal, já faz sua parte na redução de impostos adotando o menor percentual de imposto, com 18% para o industrial; zero para consumidores de até 90 quilowatts/hora; 12% para quem consome entre 90 a 200 kw; e 25% para os consumidores de mais de 200 kw.