22/10/2012

Secretaria de Energia e IPT iniciam estudo sobre gás de xisto em SP

Foram iniciados na última sexta-feira, pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), os estudos sobre o potencial de exploração e produção de gás de xisto, o “shale gas”, em São Paulo. A duração prevista para a execução dos trabalhos é de 180 dias.

A contratação do IPT para a realização deste estudo faz parte de uma estratégia do governo estadual de apoiar o desenvolvimento de alternativas de suprimento e ampliação da oferta de gás natural ao mercado industrial de São Paulo.

Conforme lembrou o subsecretário de Petróleo e Gás da Secretaria de Energia, Ubirajara Sampaio de Campos, o Estado é o maior mercado consumidor e importador de gás natural do Brasil, com cerca de 90% de seu uso final destinado à indústria. “Isso indica a importância de alternativas de oferta e de preços do gás natural para os consumidores paulistas deste segmento de modo a propiciar ganhos de competitividade econômica às suas atividades”, afirmou.

O território estadual encontra-se em grande parte inserido na Bacia Sedimentar do Paraná, que apresenta condições geológicas favoráveis à ocorrência dos denominados folhelhos betuminosos e reservas de gás não-convencional, como o shale gas.