17/10/2012

Secretário defende convergência de fontes de energia para o país

O secretário de Energia de São Paulo José Aníbal defendeu um modelo de convergência de fontes energéticas para o Brasil no Fórum Estadão Competitivo, que teve como tema “O Futuro do Gás Natural”, nesta quarta-feira.

“São Paulo tem esse propósito de criar uma convergência para que o gás tenha um papel realmente relevante na nossa matriz energética”, disse.

Aníbal afirmou que o país precisa rever sua política de oferta e preço para que a fonte seja de fato competitiva. Ele explicou que o consumo em São Paulo está estagnado desde 2007. “Há grandes dificuldades em todas as negociações com a Petrobras. O fato de a empresa ser praticamente o único agente nessa cadeia é realmente um elemento que concorre para a trava que existe no setor.”

O secretário também criticou o último reajuste do gás, acertado para o setor industrial em cerca de 16%,  porcentagem considerada negativa para o desenvolvimento da indústria de cerâmica no Estado. “O setor está sendo devastado pelo preço do gás”, afirmou.

“Acho inevitável que o gás tenha uma presença relevante na nossa matriz energética”, defendeu.  Aníbal considerou que o modelo de sucesso de exploração do insumo adotado pelos Estados Unidos pode ser um exemplo para o aprendizado do mercado brasileiro, com a ressalva de que não se trata de replicar por aqui.

“O gás precisa ser um fator definitivo de competitividade da indústria brasileira”, disse.

“Não vamos ter uma presença defensiva, mas que seja capaz de buscar caminhos novos. Acho que o que vale é tomar iniciativa, contem com São Paulo para isso.”