25/04/2013

“Sou um entusiasta do leilão de gás para o Brasil”, afirma José Aníbal

O secretário José Aníbal se mostrou favorável à realização de leilão para a compra de gás em São Paulo.  “O gás natural é uma ajuda importante para o Estado atingir a meta de elevar os atuais 56% de energias renováveis da matriz para 69% até 2020”, afirmou Aníbal.

A porcentagem é determinada pelo Plano Paulista de Energia, que atende às especificações da PEMC (Política Estadual de Mudanças Climáticas).

O secretário fez abertura do workshop Leilão de Compra para o Gás Natural, promovido pela Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo), nesta quinta-feira (25).

“Eu sou um entusiasta da iniciativa do leilão de gás porque o uso é uma questão central e urgente para o Brasil”, afirmou Aníbal. Segundo o secretário, a venda do insumo seria benéfica para o mercado porque pode promover a competitividade econômica, além da melhoria ambiental.

“Depende muito também do governo federal [acatar a ideia do leilão]. A Petrobras não tem o monopólio de direito do gás, mas tem o de fato”, ele lembrou.

Para Aníbal, é importante haver alternativas para o mercado de gás. Por isso, a Secretaria de Energia contratou uma pesquisa do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) sobre o potencial de São Paulo para a produção de gás de xisto, já em fase de finalização.

O governo do Estado também lançou, em dezembro, o Programa Paulista de Biogás, que determina a adição de um percentual mínimo do insumo à rede canalizada de São Paulo.