06/06/2013

Bioeletricidade ganha destaque no lançamento da 1.000ª turbina a vapor da Siemens

O potencial estimado para a geração de bioeletricidade a partir da cana-de-açúcar foi tema da fala do secretário José Aníbal em evento que marcou o lançamento da 1.000ª turbina a vapor da Siemens, na fábrica em Jundiaí nesta quinta-feira (6).

“O objetivo do governo do Estado é trabalhar em iniciativas que nos permitam crescer em bioeletricidade, especialmente no setor sucroenergético”, afirmou Aníbal.

A cana é a principal atividade agroindustrial de São Paulo. Aníbal destacou que o Plano Paulista de Energia prevê que a participação dos produtos da cana na matriz energética do Estado aumente dos atuais 33% para 46%, até 2020. Ele lembrou que a potência instalada para geração de energia a partir de bagaço e palha de cana em São Paulo é de 4,5 mil MW.

O secretário afirmou ainda acreditar que a cana deve ter uma identificação que vá além do açúcar e do etanol. “É grande a importância do insumo como fonte de energia elétrica e gás.”

Os incentivos do governo estadual para pesquisas na área também foram lembradas pelo secretário. “Todas as pesquisas relevantes nesse setor encontram apoio para desenvolvimento na Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).”

Em 2011, o governo também concedeu desoneração para retrofit do setor. Entre outras ações, também foram instituídos os programas paulistas de biogás e de biocombustíveis.