09/10/2013

Secretaria de Energia mapeia capacidade de geração hidroelétrica remanescente do Estado

A Secretaria de Energia de São Paulo lançou, nesta quinta (9), o “Estudo do Potencial Hidroelétrico Remanescente”, na Assembleia Legislativa do Estado.

O levantamento contribui com as metas do governo de São Paulo, propostas pelo Plano Paulista de Energia (PPE), de atingir até 2020 a participação de 69% de fontes renováveis na matriz energética estadual.

O subsecretário de Energias Renováveis, Milton Flávio, salientou no lançamento que “o Estado tem quase 25% do que já produz de hidreletricidade para ainda ser explorado”.

“Trabalharemos para aumentar as fontes renováveis, pois o que buscamos é a segurança energética para o Estado”, afirmou ele.

O estudo mostra que São Paulo tem potencial remanescente para geração hidroelétrica de cerca de 4 mil MW. O foco do aproveitamento desse potencial deve ser a construção de PCHs (Pequenas Centrais Hidroelétricas) e CGHs (Centrais Geradoras Hidrelétricas). “Nosso objetivo é atrair investimentos para São Paulo, maior consumidor de energia do país. Estamos em constante busca por crescimento sustentável”, afirmou Milton Flávio.

O levantamento foi feito a partir de convênio entre o governo do Estado de São Paulo e a CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina), assinado em maio de 2012, e operacionalizado por meio da Secretaria de Energia.

O estudo pode ser acessado aqui.