05/11/2013

Secretaria de Energia assina protocolo de intenções com Sudão para cooperação em energia renovável

A Secretaria de Energia do Estado de São Paulo assinou, nesta terça-feira (5), com o Ministério do Petróleo do Sudão, um protocolo de intenções que visa a construção de uma relação de cooperação na área de energias renováveis, especialmente no setor sucroenergético, entre as duas entidades. O protocolo foi assinado pelo secretário-adjunto de Energia, Ricardo Achilles, representando o secretário José Aníbal, e pelo ministro do Petróleo do Sudão, Awad Ahmed Mohamed Elgaz.

A assinatura ocorreu 24 horas depois da visita da comitiva do Sudão ao secretário José Aníbal, registrada nesta segunda-feira (4). Segundo Ricardo Achilles,  a rapidez na preparação e assinatura deste protocolo é um sinal da boa vontade do governo do Estado de São Paulo em estreitar relações com o Sudão. O secretário adjunto lembrou que o Estado é líder nacional em energias renováveis e um grande player nacional dos mercados de petróleo e gás.

O protocolo prevê a cooperação na capacitação técnica e tecnológica em produção de açúcar, etanol e cogeração e climatização a gás natural.

Também está incluída no acordo a promoção da transferência de tecnologia e treinamento em negociação e gestão de contratos e acordos de gás natural, bem como organização de seminários, conferência e feiras com o objetivo de atrair investimentos para o Sudão.

A missão sudanesa contou com a participação do ministro do Petróleo do Sudão, Awad Ahmed Mohamed Elgaz, do embaixador do Sudão no Brasil, Abd Elghani El Karim, e do vice-presidente do Banco Central do Sudão, Badreldim Mahmoud Abbas Mokhtar, além de representantes de bancos do Sudão e da Câmara de Comércio Árabe Brasileira.

O ministro do Petróleo do Sudão, Awad Ahmed Mohamed Elgaz, agradeceu a Secretaria de Energia por ter aberto às portas ao Sudão para o início de um diálogo entre os dois países. O ministro disse também que o Sudão está igualmente de portas abertas para receber visitas técnicas de empresários brasileiros que busquem investir no país africano.