07/02/2014

Secretaria de Energia cobra governo federal na Justiça por indenização devida à CESP

O secretário de Energia do Estado de São Paulo, José Aníbal, disse nesta quinta-feira (6), que São Paulo irá cobrar, na Justiça, R$ 1,9 bilhão do governo federal referente à indenização dos ativos não amortizados da usina hidroelétrica Três Irmãos. A concessão da usina está extinta desde abril de 2013 e não foi renovada, mas a pedido do governo federal ainda é administrada pela CESP até o novo leilão concessionário, marcado para 28 de março.

O valor que a empresa paulista calcula que tem a receber é de R$ 3,6 bilhões e inclui os investimentos importantes feitos pela CESP, como a construção de um canal e de duas eclusas, além da remoção dos habitantes do local e da manutenção de uma reserva ambiental. Para o governo federal a indenização devida é de R$ 1,7 bilhão, e não inclui as eclusas e o canal.

O impasse perdura há meses e Aníbal afirmou que o governo de São Paulo e a estatal paulista não ficarão responsáveis pela operação das eclusas e do canal após o leilão para escolha do novo operador da usina, por considerar esses ativos parte importante da hidroelétrica. A CESP explica que o canal Pereira Barreto, com 9.600 metros de comprimento, interliga os reservatórios de Ilha Solteira e Três Irmãos, propiciando a operação energética integrada dos dois aproveitamentos hidroelétricos.

Três Irmãos é a maior usina construída no Rio Tietê e está localizada entre os municípios de Andradina e Pereira Barreto (SP), a 28 km da confluência com o Rio Paraná. Possui cinco unidades geradoras e potência instalada de 807,50 MW.