27/03/2014

José Aníbal presta contas de sua gestão em Comissão de Infraestrutura da ALESP

O secretário de Energia do Estado de São Paulo, José Aníbal, prestou contas de sua gestão à frente da Secretaria em reunião na Comissão de Infraestrutura, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP), na última quarta-feira (26). Aníbal destacou a melhora nos índices de continuidade no fornecimento de energia elétrica e as ações do governo paulista para incentivar a participação de renováveis na matriz energética estadual. A sessão foi presidida pelo deputado estadual Alencar Santana.

Aníbal falou sobre a melhora nos índices que medem a qualidade do serviço de distribuição de energia elétrica no Estado de São Paulo, enaltecendo a queda nos níveis de DEC (período sem energia) e FEC (frequência de interrupção de energia) das distribuidoras, segundo critérios da ANEEL. “Houve uma ação forte por parte da Secretaria para que as distribuidoras investissem em todos os setores para melhorar o fornecimento de energia à população de São Paulo. Hoje, as cinco principais concessionárias do Estado têm os menores números em interrupções no fornecimento e horas sem energia do Brasil”, afirmou.

A evolução da confiança dos consumidores nos serviços prestados pelas distribuidoras de energia (Eletropaulo) e gás canalizado (Comgás) da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), segundo mostra pesquisa do IBOPE Inteligência, foi lembrada por Aníbal. Outro ponto destacado pelo secretário foi a queda da Eletropaulo no ranking de reclamações do PROCON-SP, onde a distribuidora de energia da RMSP caiu 18 posições, passando do 3º lugar em 2009 para o 21º posto em 2013.

O Plano Paulista de Energia (PPE), que propõe políticas públicas para o desenvolvimento sustentável do Estado de São Paulo, com foco em energias renováveis e eficiência energética também foi destacado. O PPE projeta aumento da participação de fontes renováveis na matriz energética de São Paulo: a presença dessa energia deve aumentar dos atuais 55,5% para 69% até 2020. As propostas do Plano foram organizadas nos eixos temáticos: eletricidade, biocombustíveis, eficiência energética e gás natural. A geração eólica e fotovoltaica também deve contribuir para a ampliação da matriz renovável no Estado. “O nosso Plano Paulista de Energia é um modelo de planejamento para todos os outros Estados”, completou Aníbal.

O secretário também falou sobre o intenso trabalho da Secretaria em busca de aumentar a geração de energia por fontes renováveis, como o “Atlas Eólico”, o “Potencial Hidroelétrico Remanescente”, o “Levantamento do Potencial de Energia Solar Paulista”, além de Cooperações Internacionais para troca de conhecimentos tecnológicos, entre outros temas. O governo do Estado concedeu incentivos tributários para toda a cadeia de renováveis, desonerando a compra de bens e equipamentos que produzam energia através dessas fontes.

Aníbal comentou ainda sobre o acordo com a Petrobras para construção do Centro Tecnológico de Pesquisa em Petróleo e Gás Natural da Baixada Santista (CTBS), que será construído em Santos, com investimentos da estatal, para capacitar e atender toda a demanda por inovação, criada pela exploração do Pré-sal na região. “É uma das maiores ações da Petrobras em São Paulo”, complementou.