14/11/2014

Secretaria de Energia participa de treinamento de lideranças em mudanças climáticas

A convite da Pacto Global – Rede Brasileira, entidade ligada à ONU – Organização das Nações Unidas, o Governo de São Paulo esteve presente ao evento, que contou com a participação de representante da Secretaria de Energia.

O treinamento é fruto do programa Lideranças em Realidade Climática, e foi criado pelo Projeto Realidade Climática (The Climate Reality Project), visando desenvolver uma rede global de indivíduos que colaboram a partir de suas diferentes inserções, motivados e capacitados, para fazer real diferença na busca de soluções à crise climática mundial. É destinado à formadores de opinião e tomadores de decisão de governos, ONGs, empresas, academia e imprensa.

Segundo os organizadores, a importância do Brasil em moldar políticas sobre o clima, se estende muito além de suas fronteiras, pois o país atende aproximadamente 70% de sua demanda por energia elétrica por meio de usinas hidroelétricas e possui, com isso, uma matriz energética com baixa participação de combustíveis fósseis. Para eles, outros países observam como o Brasil equilibra estes desafios com seus objetivos de crescimento econômico, conservação e dependência de energias renováveis, cujos resultados devem indicar políticas para o restante da América Latina e outras regiões do mundo.

Al Gore, ex-vice-presidente dos Estados Unidos e prêmio Nobel, juntamente com importantes cientistas mundiais do clima, dentre eles vários brasileiros, trouxeram aos participantes formas de como divulgar melhor a narrativa das mudanças climáticas e as soluções disponíveis.

Para o Secretário de Energia, Marco Mroz, a importância da ação do Estado no enfrentamento das mudanças climáticas é urgente: “Políticas públicas que previnam mudanças climáticas são fundamentais, em especial aquelas que se relacionam com a produção de energia de fontes renováveis, que preservam as florestas e evitam o desmatamento, e podem colaborar muito para o enfrentamento do problema. E São Paulo é referência mundial em questões climáticas e foi lembrado por possuir políticas públicas para redução dos impactos negativos causados pelas emissões de carbono, como a PEMC (Política Estadual de Mudanças Climáticas)”, disse.