01/12/2014

São Paulo é privilegiado em leilão de reserva da ANEEL

No leilão público nacional de energia de reserva de fontes alternativas realizado no final do mês de outubro pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), no qual não disputaram outras fontes, os projetos localizados no estado de São Paulo tiveram participação expressiva.

Mesmo não sendo a região de maior incidência solar, portanto, não possuindo o melhor potencial de produção desse tipo de energia, e ainda, por concentrar os maiores preços de terrenos do país, São Paulo recebeu quase um terço dos projetos.

Isso se deveu, certamente, à importante infraestrutura de produção e logística, e ao maior volume de demanda de carga de energia provocada pela pujança da produção industrial do estado.

No certame foram negociados 31 empreendimentos de produção de energia solar, de 11 participantes diferentes. As unidades contratadas estarão em Minas Gerais, Bahia, Rio Grande do Norte, São Paulo e Paraíba. O preço médio de R$ 215,12 por megawatt-hora (MWh), teve um desconto de 17,89% frente ao preço teto de R$ 262,00 permitido para essa fonte. O total de energia vendida foi de 202,1 MW médios e 1.048 MW de capacidade instalada.

Os contratos preveem o início do fornecimento em 1º de outubro de 2017, pelo período de 20 anos.

O Secretário de Energia, Marco Antônio Mroz, entende que será um grande passo para o avanço da matriz do estado à partir de fontes renováveis de energia: “São Paulo considera de grande importância esse resultado, porque avançamos ainda mais no sentido de atingir as metas da PEMC (Política Estadual de Mudanças Climáticas), e ainda colabora para a segurança energética do estado”, disse Mroz.