12/01/2015

Eletropaulo terá dez dias para melhorar atendimento ao consumidor

A AES Eletropaulo, companhia responsável pelo abastecimento de energia elétrica de 24 municípios da região metropolitana de São Paulo, terá, a partir de hoje (9), prazo de dez dias para apresentar um plano de melhorias no atendimento às reclamações de consumidores sobre interrupções de fornecimento de energia e no restabelecimento do serviço. A decisão foi anunciada após reunião entre representantes da empresa e da Agência Reguladora de Saneamento e Energia do estado de São Paulo (Arsesp) e o secretário estadual de Energia, João Carlos de Souza Meirelles.

No relatório de plano de melhorias, a Eletropaulo terá que informar, por exemplo, o número de equipes que disponibiliza para os atendimentos de emergência. Mesmo sem citar quantas equipes existem atualmente, o secretário disse que elas diminuíram nos últimos quatro anos, o mesmo ocorrendo com a qualidade do serviço, principalmente no tempo de atendimento.

“Queremos saber quantas equipes estão sendo alocadas em cada um dos três períodos do dia. Em segundo lugar, [queremos saber sobre] o cadastro dos principais consumidores especiais, tais como hospitais e presídios, ou seja, aqueles que não podem ficar uma hora no máximo interrompidos. Em terceiro, sobre o serviço de call centers, em que o consumidor reclama e tem registrado o seu pedido”, disse o secretário. “Não é admissível que continuemos com oito, dez, 20 ou 30 horas sem atendimento [de energia] em algumas pequenas áreas na região metropolitana”, acrescentou.

Na próxima segunda-feira (12), uma equipe da Arsesp vai inspecionar a Eletropaulo para levantar dados sobre o número de profissionais que trabalham em atendimento rotineiros e de emergência, além das variações de qualidade nos serviços. A agência também fará uma auditoria na empresa que vai durar 15 dias. Segundo Meirelles, o resultado da auditoria poderá resultar em punições para a empresa.

Na última terça-feira (6), a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de São Paulo informou que multará a Eletropaulo por falhas na prestação de serviço após as fortes chuvas que atingiram a Grande São Paulo nos últimos dias. Entre os problemas apontados pelo Procon, estão a demora no restabelecimento da energia elétrica, as falhas no serviço de atendimento ao consumidor (SAC) e os danos causados a equipamentos domésticos.

Um dos locais afetados pela demora na falta de energia foi o Hospital Municipal e Maternidade Amador Aguiar, em Osasco, que ficou sem energia durante parte da noite de segunda-feira (5) e madrugada de terça-feira (6). Por causa da demora no restabelecimento do fornecimento de energia, pacientes tiveram de ser transferidos para outros hospitais.

Para o secretário, o problema com o hospital de Osasco foi uma “falha grave” e “absolutamente inaceitável”. Ele apontou falhas no serviço da Eletropaulo, entre elas no sistema de call center. O serviço recebeu 13 chamadas do hospital, solicitando o restabelecimento da energia, que não foram atendidas, embora fosse um serviço essencial e emergencial. “O estado de São Paulo não pode conviver com esses incidentes”, disse.

O secretário ressaltou que não há risco de desabastecimento de energia porque não se trata de falhas no abastecimento, mas de uma “microfalha”. “Não há falta de energia na rede que chega a São Paulo. O que tem havido são falhas pontuais na reparação rápida das redes”, explicou.

A AES Eletropaulo informou, por meio de nota, que vai fornecer todas as informações solicitadas pela Secretaria de Energia.

O consumidor que não tenha a solicitação atendida pela Eletropaulo deve procurar a Arsesp e registrar a queixa pelo telefone 0800-72 70 167 ou pelo e-mail: arsesp@sp.gov.br.