22/06/2015

Secretaria de Energia participa de fórum sobre energia elétrica

O World Trade Center Business Club, que integra o World Trade Center Brasil, realizou nesta sexta-feira, 19, o Fórum de Energia, evento que debateu sobre infraestrutura, marco regulatório, investimentos e alternativas sustentáveis do sistema elétrico brasileiro.

Voltado para um público composto de gestores empresariais, o evento contou com a participação do Ministro de Minas e Energia Eduardo Braga, do Secretário de Energia de São Paulo João Carlos Meirelles e do Diretor-Geral da ANEEL Romeu Rufino.

Rufino apresentou a evolução da situação recente do sistema elétrico brasileiro, seus aspectos institucionais, a modernização dos sistemas de geração, distribuição e transmissão, regulação econômica, variações de custos de compra de energia, evolução da geração nos últimos dez anos, aspectos gerais do cenário atual e os desafios.

O Ministro Eduardo Braga focou na avaliação das condições de atendimento, apresentou a série histórica do risco de déficit, a capacidade instalada por matriz energética, a evolução da capacidade instalada de geração eólica e solarimétrica, as metas de expansão do sistema em 2015 e a proposta do governo pela prorrogação das concessões por mais trinta anos em troca de mais qualidade do serviço, melhoria na gestão e modicidade tarifária.

A apresentação do Secretário de Energia de São Paulo João Carlos Meirelles, discorreu sobre as diretrizes estratégicas e projetos estruturantes que a secretaria desenvolveu para o setor de energia no estado, que incluem a geração de energia próxima aos centros de carga, o uso do gás natural como garantia de oferta firme, prioridade a fontes renováveis, eficiência energética e redução de emissões de carbono. Sobre projetos falou da proposta de ampliação da oferta de gás natural em 15 Mm³/dia em complemento ao Gasoduto Brasil-Bolívia, apresentou os trabalhos desenvolvidos para fomentar a cogeração e geração distribuída à partir de biomassa (palha de cana, madeira e lixo), energia solar e gás natural. Disse também sobre o projeto de desenvolvimento do complexo hidroenergético do rio Pinheiros, represa Billings e usina Henry Borden, que inclui despoluição do rio Pinheiros, transferência de águas para a represa Billings e consequente aumento de geração de energia na usina Henry Borden, cuja capacidade instalada é de 889 Mw e hoje gera apenas 34 Mw. Enfatizou o reforço e a ampliação da rede de distribuição e conexões, também a modernização de unidades geradores através de retrofit e a diversificação de combustíveis (bagaço e palha da cana, subprodutos da indústria florestal e resíduos sólidos urbanos). Específicamente sobre cogeração e geração distribuída à partir de gás natural citou os planos de uso do insumo na instalação/ampliação das termelétricas de Pedreira e Cubatão e na instalação de sistemas no Complexo Hospitalar do Hospital das Clínicas.

Para o Secretário Meirelles, é importante fazer a interligação de usinas com potencial de geração à partir de biomassa da cana com o sistema elétrico brasileiro: “O grande problema é que nem sempre essas usinas estão conectadas para transmitir energia, e quando chegam numa subestação, esta não está preparada para receber uma tensão mais elevada e, portanto, isto não pode ser despachado”, afirmou Meirelles.

Na ocasião foi apresentado o Prêmio Zayed de Energia do Futuro para fontes renováveis de energia, do Ministério das Relações Exteriores dos Emirados Árabes Unidos, que premia projetos de inovação em geração solar, eólica, geotermal e hidroelétrica, além daqueles que previnem o desperdício de energia em todo mundo e que contenham praticas que reduzem as emissões de gases de efeito estufa.