11/08/2015

São Paulo também é contemplado no Programa de Investimentos em Energia Elétrica para o país

O Governo Federal lançou nesta terça-feira, 11 de agosto, o Programa de Investimento em Energia Elétrica (PIEE), que reúne projetos a serem contratados entre agosto de 2015 e dezembro de 2018 para a expansão da geração e transmissão elétrica no país. O evento contou com a presença do secretário de Energia do Estado de São Paulo, João Carlos Meirelles, que representou o governador Geraldo Alckmin, da presidente da República, Dilma Rouseff, do ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, além de autoridades do setor de energia elétrica.

A proposta é ampliar a oferta de energia e fortalecer o sistema, mantendo a matriz elétrica brasileira com predominância de fontes limpas e renováveis, por meio da contratação de R$ 186 bilhões em investimentos novos de geração e transmissão elétrica entre agosto de 2015 e dezembro de 2018.

Na apresentação do programa, o Estado de São Paulo receberá, para reforço da rede básica de carga, investimentos de R$ 680 milhões na ampliação da rede de transmissão regional e mais R$ 6 bilhões em linhas de longa distância que atenderão, também, mais quatro estados. Além disso, estão programados investimentos em pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e em usinas solar fotovoltaicas para o estado. 

Segundo o Governo Federal, serão contratados nesse período, por meio de leilões, R$ 116 bilhões em obras de geração e R$ 70 bilhões em linhas de transmissão. Dos novos projetos de geração de energia que devem ser contratados, o PIEE prevê que sejam investidos R$ 42 bilhões até 2018, e outros R$ 74 bilhões após esse período, para agregar ao sistema elétrico entre 25.000 MW e 31.500 MW, respectivamente.

A expansão das energias renováveis – excluindo hidrelétricas e pequenas centrais hidrelétricas – corresponde a quase metade da potência adicionada, entre 10.000 MW e 14.000 MW. Em transmissão, até 2018 deverão ser leiloados 37.600 quilômetros de linhas, com investimentos previstos de R$ 70 bilhões, sendo R$ 39 bilhões a serem executados até 2018 e os R$ 31 bilhões após esse período.

O programa pretende consolidar a base hidrotérmica do setor elétrico brasileiro, com ampliação da presença de gás natural, em substituição a combustíveis mais caros e mais poluentes, e com uma expansão crescente de outras fontes renováveis, além da hidrelétrica. Também propõe aprofundar o caminho da diversificação energética e ampliação do uso da biomassa, da energia eólica, e da energia solar fotovoltaica.

Clique aqui para ver a apresentação do PIEE.