12/08/2015

Secretário de Energia convida o setor privado para discutir soluções da cadeia energética

O secretário de Energia de São Paulo, João Carlos Meirelles, apresentou os principais projetos do setor energético do estado para diretores da Fiesp e empresários convidados, nesta quarta-feira, 12 de agosto, na sede da entidade.

“Queremos que o setor privado nos apresente propostas. São as empresas que têm os exemplos concretos do que funciona e do que não funciona. O Governo do Estado analisará e apoiará todas as ideias que forem benéficas para São Paulo”, disse Meirelles.

Ele apresentou as ações da Secretaria e o esforço para aumentar o uso do gás natural como insumo na matriz, apresentando o projeto do Gasoduto Rota 4, que terá investimentos privados e aumentará a oferta de Gás Natural ao estado.

“Esse é um projeto de complementariedade e não de concorrência ao serviço da Petrobras”, explicou o diretor-presidente da Comgas, Luís Henrique Guimarães.

Na outra ponta, para aumentar o consumo, Meirelles apresentou o projetos de cogeração a partir de GN, com a implantação de termelétricas na base do sistema, em projetos que serão desenvolvidos pela Emae – Empresa Metropolitana de Águas e Energia, em parceria com o setor privado; e o projeto Complexo Hospitalar Clínicas, que inclui a instalação de uma central de cogeração, usina solar fotovoltaica, sistema de armazenamento de energia elétrica e modernização de ar condicionado e outros sistemas. Este projeto está sendo desenvolvido e implantado integralmente com recursos do setor privado.

“É muito bom ver a Secretaria trabalhando em conjunto com o setor produtivo”, destacou a diretora do Deinfra, Ieda Correia Gomes.

Meirelles apresentou também a capacidade de transporte dos gasodutos que passam pelo estado e que apresenta um saldo entre o que recebe, consome e transporta de aproximadamente 18,5 milhões de m³ por dia, que poderiam ser utilizados e vendidos em São Paulo.

Sobre o Deinfra

O Departamento de Infraestrutura da Fiesp – Deinfra, é responsável por questões relativas às áreas de Energia, Logística e Transportes, Saneamento Público e Telecomunicações e tem como missão contribuir para o desenvolvimento do setor energético nacional, tendo em vista assegurar a oferta de energia com qualidade e preços módicos, para promover o crescimento e a competitividade da indústria brasileira.