16/10/2015

Consumo de energia cai 5,9% em outubro, aponta CCEE

Geração eólica aumentou 48,5% no período, enquanto a hidráulica teve queda de 2,4%

O consumo de energia caiu 5,9% em outubro e a geração, 4,2%, segundo dados preliminares de medição coletados entre os dias 1° e 13 de outubro pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica. O consumo alcançou 58.258 MW médios com redução tanto no mercado cativo quanto no Ambiente de Contratação Livre. O consumo cativo registrou 44.323 MW médios, uma queda de 5,6%. Já os agentes livres consumiram 13.935 MW médios, ou seja, 7% a menos do que em outubro de 2014.

De acordo com o boletim InfoMercado Semanal da CCEE, entre os segmentos industriais que adquirem energia no ACL, os setores de minerais metálicos e químico elevaram o consumo em 15,1% e 2,6%, respectivamente. Nos demais, houve retração, sendo a maior no ramo de veículos, com queda de 25,5%.

Na geração, houve a entrega de 61.402 MW médios de energia ao Sistema Interligado Nacional, com destaque para o crescimento da produção das usinas eólicas. Com 3.250 MW médios, a fonte teve o incremento de 48,5% na produção em relação ao mesmo período de 2014. Já as usinas hidráulicas tiveram queda de 2,4% com a geração de 42.412 MW médios no mês e representatividade de 69,1% em relação a toda energia gerada no país, índice 1,3 ponto percentual superior ao registrado no ano passado.

Na autoprodução houve aumento de 19,4% na geração e queda de 4,4% no consumo em outubro. O setor de transporte, com queda de 27,3%; metalurgia e produtos de metal, com baixa de 15,7%; e minerais não metálicos, com redução de 10,9%, foram os que mais contribuíram com a redução no índice de consumo. Mesmo com a redução geral, empresas que atuam nos segmentos químicos (+69,1%), extração de minerais metálicos (+11,8%) e manufaturados diversos (+8,1%) mantiveram a alta no consumo em relação ao mesmo período do ano passado.

O InfoMercado também apresenta estimativa de que as hidrelétricas integrantes do Mecanismo de Realocação de Energia gerem na terceira semana de outubro o equivalente a 91,7% de suas garantias físicas ou 42.505 MW médios em energia elétrica.