27/11/2015

Energia Renovável é a solução para a mudança climática

Um novo relatório da Agência Internacional de Energias Renováveis (IRENA) apresenta ações contra o aquecimento global.

Reduções de emissões geradas pela energia renovável, juntamente com melhorias na eficiência energética, deve estar no centro de qualquer esforço para limitar o aumento da temperatura global a 2°C, de acordo com o relatório “Repensar a Energia 2015 – Energias Renováveis e Clima” divulgado pela Agência Internacional de Energias Renováveis (IRENA). A agência acha que a obtenção de uma quota de 36% de energia renovável até 2030 resultaria em metade de todas as reduções de emissões necessárias para manter um aumento em apenas 2°C. Medidas de aumento na eficiência energética poderia suprir a outra metade.

“O setor de energia é responsável por mais de dois terços das emissões globais de gases de efeito de estufa e, portanto, deve ser o foco da ação climática”, disse Adnan Amin Z., diretor feral da IRENA. “A transição rápida para um futuro alimentado por energia renovável, acompanhado de aumento da eficiência energética, é a maneira mais eficaz de limitar o aumento da temperatura global. Esta transição está em andamento, mas deve ser acelerado, se quisermos limitar esse aumento.”

A intensificação das energias renováveis ao nível exigido para cumprir os objetivos globais de clima contribuiria para pelo menos 12 dos 17 objetivos das Nações Unidas de desenvolvimento sustentável, aumentando o acesso à energia, melhorando a qualidade de vida e reduzindo a pobreza. Atualmente, o setor emprega 7,7 milhões de pessoas em todo o mundo, criando mais empregos por unidade de energia gerada do que o carvão mineral ou a gás natural. Alcançando a quota de 36% de energias renováveis, o número de empregos no setor poderiam exceder 24 milhões até 2030.

Para alcançar uma quota de 36%, seria necessário aumentar em seis vezes geração de energia renovável em relação aos níveis atuais. Isso exigiria que o investimento global anual quase dobrasse, para ultrapassar US$ 500 bilhões até 2020, e mais do que triplicar e exceder US$ 900 bilhões de 2021 para 2030. Para ajudar a alcançar este objectivo, o relatório destaca cinco ações para um futuro de energia sustentável, incluindo : reforçar os compromissos políticos, mobilização de investimentos, capacitação institucional, ligar as energias renováveis aos objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas e fortalecendo o envolvimento regional.

“Os negócios que envolvem energia renovável tem feito a transição energética inevitável”, acrescentou o Sr. Amin. “Agora a questão é se a transição será feita rápidida o suficiente. Nas próximas negociações sobre o clima em Paris, caberá aos países a se comprometerem com metas, e assim, darem sinais políticos fortes para catalisar novos investimentos em energia renovável.”

Repensando Energy – Energia Renovável e Clima é a segunda edição da série descrevendo os progressos realizados na transição para um futuro. O relatório foi apresentado na 10a reunião do Conselho da IRENA, de 22 a 24 de novembro, em Abu Dhabi.