13/11/2015

Energias renováveis crescerão com renovação de concessões de distribuidoras

Geração distribuída será estimulada, ajudando o consumidor a gerar energia

A renovação das concessões das 42 distribuidoras com vencimento neste ano e em 2016 deverá contribuir para a expansão da geração distribuída no Brasil (quando o consumidor gera sua própria energia). Segundo o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga,  as metas de investimentos que as empresas terão de cumprir conforme os termos da renovação serão importantes para alocar recursos na instalação de redes inteligentes (smart grids), que permitirão o crescimento da geração de energia pelos próprios consumidores, e a renovação da rede básica das distribuidoras. A avaliação foi feita nesta quinta-feira (12/11) , em reunião da  Iniciativa Empresarial em Clima, em São Paulo.

Com mais energia, novos mercados se descortinarão para o Brasil, avalia o ministro. “Eu comecei a ouvir falar em sobrecontratação de energia. Mas acho que isso só ocorrerá se não fizermos o nosso dever de casa”, disse. “Há um mercado na América do Sul e nós podemos ser exportadores. Há 15 mil MW de energia que não é adequada do ponto de vista de clima, que não é barata, e que nós podemos substituí-las, e também há a esperança de que os ajustes econômico e fiscal necessários acontecerão e que o Brasil voltará a crescer e a demandar novas energias”, afirmou.

Braga falou também aos participantes do encontro sobre ações estruturais em gestação na sua pasta, como a criação do Fundo de Energia do Nordeste (FEN) e do Fundo de Energia do Sudeste e Centro-Oeste (Fesc), e a reestruturação das regras para o risco do déficit hidrológico, cuja proposta legislativa (MP 688) já foi aprovado pela Câmara e agora segue para Senado. “Estamos fazendo uma grande reforma no setor, de maneira democrática, com diálogo permanente, e buscando estabelecer paradigmas que não enfraqueçam financeiramente e economicamente o setor. Ao contrário, que ele seja economicamente robusto e financeiramente eficiente, para que possamos entregar energia segura, limpa e barata para o povo brasileiro”.