30/11/2015

Sudeste deverá encerrar ano com reservatórios a 35%, projeta ONS

Apesar de melhoria nas condições do Nordeste a expectativa é de que o armazenamento naquela região não passe de 10%

As chuvas do período úmido no submercado Sudeste/Centro-Oeste chegaram de vez, a previsão inicial do Operador Nacional do Sistema Elétrico é de que ao final de dezembro a energia natural afluente desta que é a maior região em capacidade de armazenamento, fique em 114% da média histórica. O Sul é outro submercado que deverá manter as vazões acima da média como vem ocorrendo nos últimos meses, a projeção para o mês é de 164% da média histórica. No norte é esperada ENA de 40% da média, o menor volume entre os quatro subssistemas brasileiros já que no Nordeste a expectativa é de alcançar ENA de 47% da média.

Ao mesmo tempo, a previsão de carga para o mês de dezembro é de 1,9%, com a expressiva contribuição das regiões SE/CO com queda de 3% e no Sul com redução de 8%. Enquanto isso a perspectiva inicial é de que a demanda aumente em 4% no NE e em 8,3% no Norte, muito ainda em decorrência da interligação da capital do Amapá ao SIN.

Como consequência desse cenário o ONS projeta que os reservatórios no SE/CO deverão fechar o ano com um nível de 35,3% de capacidade. Para efeitos de comparação com o mesmo período do ano passado, o operador indicava para o encerramento de 2014 que a região teria 24,3% ocupados. A maior diferença contudo, está no Sul onde a previsão é de encerrar 2015 com 97,8% ante os 54,7% de 2014. No Norte é esperado o fechamento de dezembro com 22,1%, um nível 12 pontos porcentuais abaixo do que se esperava ao final do ano passado. No NE está a pior expectativa com 9,9% de armazenamento em dezembro. No ano anterior a expectativa do ONS era de que os reservatórios da região estivessem em 21,3%.

O custo marginal de operação para a semana operativa que se inicia neste sábado 28 de novembro está equacionado apenas no SE/CO e Sul, em R$ 124,48/MWh, resultado da carga pesada e média em R$ 128,99/MWh e a leve em R$ 116,59/MWh. Já no Norte o valor médio é de R$ 169,37/MWh com a pesada estabelecida em R$ 171,45/MWh e a média e leve ao valor de R$ 169,12/MWh. Já no Nordeste está o valor mais elevado com a média de R$ 354,14/MWh sendo a pesada e a média em R$ 376,66/MWh e a leve em R$ 314,63/MWh.

A geração térmica na semana será de 14.362 MW médios, sendo que a maior parte, ou 8.386 MW médios continua sendo por ordem de mérito. Outros 5.216 MW médios estão previstos por garantia energética, enquanto 664 MW médios por inflexibilidade e 86 MW médios por restrição elétrica.

Segundo a previsão meteorológica, é esperada para o início da semana uma frente fria avançando pelas regiões Sul e Sudeste, podendo ocasionar chuva fraca a moderada nas bacias hidrográficas dos subsistemas Sul e Sudeste/Centro-Oeste e em pontos isolados do São Francisco. A atuação de áreas de instabilidade na região Sudeste no decorrer da semana mantém a precipitação nas bacias hidrográficas da região e no Alto São Francisco. A bacia do rio Tocantins apresenta pancadas de chuva em pontos isolados na próxima semana.

Para checar a evolução do CMO e gerar gráficos com múltiplos parâmetros acesse o Monitor Energia disponível para assinantes do CanalEnergia Corporativo