07/12/2015

Brasileiro desenvolve bicicleta elétrica e vende modelo no Brasil e nos EUA

Depois de se formar em engenharia, em 2012, Victor Hugo Cruz, 26, começou a desenvolver uma bicicleta elétrica para uso próprio.

A ideia cresceu e, quando finalizou o projeto da Vela, em 2014, arrecadou cerca de R$ 45 mil em campanha de financiamento coletivo.
A bicicleta tem um motor com cerca de 0,5 CV de potência e atinge velocidade de 25 km/h. A bateria tem autonomia de 30 km e sua recarga completa leva três horas.

Neste ano, a empresa fez dois outros financiamento coletivos nos Estados Unidos, e obteve cerca de US$ 55 mil (R$ 207 mil). As bicicletas vendidas nos EUA serão montadas em Los Angeles, onde Cruz tem parceiros.

Por aqui, a Vela é vendida por R$ 4.390 no e-commerce e na loja da marca. “Temos uma oficina para montagem. Compramos algumas peças no Brasil e importamos outras, como componentes da bateria e do motor, do Japão e da China”, diz Cruz.
Segundo o empresário, cerca de 50 unidades já foram vendidas nos EUA e outras 70, no Brasil.

Uma invenção para uso pessoal também foi o início da Espetoflex, que fatura em média R$ 600 mil por mês.
Luciano Kaefer, 51, criou um espeto giratório para churrasco movido por quatro pilhas AA após faltar energia em suas férias no litoral do Rio Grande do Sul.

O aparelho tem autonomia de 60 horas com o uso de pilhas alcalinas e de 20 horas com pilhas comuns. É vendido por R$ 169 no site e por revendedores.
“Hoje temos 25 funcionários e vendemos cerca de 5.000 peças por mês”, diz Kaefer, que já exportou para América Latina, Austrália, Japão e Qatar.

VISÃO DO ESPECIALISTA
Fabiano Nagamatsu, consultor do Sebrae-SP

SUSTENTÁVEL
A Vela se destaca como alternativa de mobilidade com mais conforto e design que bicicleta comum

EVOLUÇÃO
EspetoFlex pode ser copiado com certa facilidade, então deve continuar inovando ou desenvolver novos itens