16/12/2015

Equipe da Secretaria de Energia e Mineração realiza visita técnica a mineradoras de areia e brita

O secretário de Energia e Mineração do Estado de São Paulo, João Carlos Meirelles e o subsecretário de Mineração, José Jaime Sznelwar, que também é coordenador do grupo de trabalho de barragens de mineração, visitaram nesta quarta-feira, 16 de dezembro, a pedreira Itapeti da empresa Embu, no município de Mogi das Cruzes e a mineração de areia da empresa Itaquareia, em Itaquaquecetuba.

O encontro, que faz parte da programação da Secretaria em conhecer in loco a produção mineral no Estado, teve como objetivo conhecer a produção de areia e brita na região metropolitana de São Paulo, coletar as demandas do setor e visitar a barragem da mineradora paulista.

“São Paulo realiza uma mineração responsável. Pudemos observar de perto o profissionalismo com que as mineradoras trabalham, atendendo os requisitos ambientais, de segurança e trabalhistas. Esse modelo deve ser seguido pelas pequenas mineradoras do Estado e do restante do Brasil”, disse Meirelles.

O secretário de Energia e Mineração solicitou que as empresas, sindicatos e associações apresentem propostas do setor para enfrentar o momento de crise econômica que o Brasil vive. “Vamos conversar com os representantes do setor para poder levar uma pauta proativa da área de mineração. É muito bom ver essa abertura de diálogo que o Governo do Estado está fazendo”, afirma o diretor-presidente da Embu, Luiz Eulálio.

Em Mogi das Cruzes, a mineradora Embu produz principalmente pedra, brita e seus subprodutos. A pedreira conta com uma barragem e um reservatório de cerca de 570 m³ de água para limpeza da areia. “Essa é uma barragem pequena e bem administrada pela empresa. A população da região pode ficar tranquila sobre a sua segurança”, destaca Sznelwar.

Em Itaquaquecetuba a equipe foi conferir uma cava que está chegando ao final de sua produção e já conta com recomposição de mata ciliar ao longo do Rio Tietê e de uma área cedida ao município para implantação de um parque. Com isso, o planejamento futuro do terreno já é um tema em discussão. “Nosso projeto é construir um condomínio logístico onde está a nossa produção hoje. Em frente a fábrica já estamos construindo um shopping center em uma área de que já foi de produção de areia. Essa região de Itaquaquecetuba terá um novo ciclo de desenvolvimento”, explica o presidente da Itaquareia, Antero Saraiva Junior, que também é presidente do Sindicato das Indústrias de Extração de Areia do Estado de São Paulo (Sindareia).

Participaram da visita técnica o coordenador do Comitê da Cadeia Produtiva da Mineração da Fiesp, Eduardo Luz, o presidente da Anepac, Fernando Valverde, além de empresários e funcionários das empresas visitadas.

GT de Barragens de Mineração

O GT que irá diagnosticar as barragens de mineração e da indústria de transformação mineral do Estado de São Paulo, coordenado pelo subsecretário de Mineração, José Jaime Sznelwar, vai apresentar, até o final de fevereiro de 2016, um relatório com recomendações para as empresas responsáveis pelas barragens visando a adequação das estruturas, adoção de novas tecnologias e a mitigação de riscos conforme as leis vigentes. O grupo também irá sugerir melhorias nos sistemas de fiscalização dos órgãos públicos federais, estaduais e municipais.

Mineração em São Paulo

São Paulo é o terceiro maior produtor de bens minerais do país e o maior consumidor de insumos da cadeia da construção civil.  É também o maior produtor de equipamentos e insumos para a indústria mineral. Movimentou US$ 1 bilhão em 2014, empregando mais de 200 mil trabalhadores.

O Estado possui mais de 2.800 minas em operação, com 95% de produção em areia, brita, calcário e argila. Só a região Metropolitana de São Paulo recebe, diariamente, mais de 9.000 carretas de areia e brita. Diferentemente de outros estados, predominantemente exportadores, São Paulo é o destinatário final destes insumos, gerando riqueza e renda local.