12/01/2016

EDP: 700 mil ficaram sem luz em 2015 por conta de pipas e balões

Guarulhos e Itaquaquecetuba lideram entre cidades com mais ocorrências. Distribuidora tem feito ações para alertar população

A EDP (SP) registrou entre janeiro e dezembro do ano passado, mais de 7.500 ocorrências nos 28 municípios da área de concessão ocasionadas por pipas e balões na rede elétrica. Como consequência, 710 mil clientes tiveram o fornecimento de energia elétrica interrompido.

As cidades de Guarulhos (2.311), Itaquaquecetuba (1.004), Mogi das Cruzes (525), São José dos Campos (416) e Suzano (747) lideram o ranking de cidades com os maiores números de incidências de tal natureza. Nestes casos, as equipes da distribuidora foram deslocadas para fazer a limpeza da fiação e restabelecer o fornecimento da energia interrompida por danos na rede elétrica.

A concessionária tem orientado os consumidores que a prática de soltar balão é crime. Se o balão cair sobre uma subestação, os danos poderão ser de grande proporção. Alguns materiais utilizados na confecção de pipas são condutores de energia e aumentam o perigo quando em contato com a rede elétrica. Já o uso de cerol é proibido e pode acarretar em pagamento de multa pelo responsável. Também é expressamente proibido invadir as subestações da EDP para recuperar pipas e balões. Esses locais são energizados e somente pessoas autorizadas podem entrar nas estações. Um acidente causado por descarga elétrica pode deixar sequelas como queimaduras e até causar a morte.

Ao longo de 2015, a distribuidora realizou, por meio do Instituto EDP e em parceria com a Evoluir, o projeto “Brincando com pipas”, uma iniciativa para conscientização da importância da brincadeira segura. De acordo com Marcos Scarpa, Relações Institucionais da concessionária, é imprescindível que crianças e adolescentes evitem empinar pipas próximo à rede elétrica e escolham praças, campos abertos e parques.