26/01/2016

São Paulo vem liderando interesse por instalações solares

Levantamento do Portal Solar mostra que estado também é o que possui mais empresas que atuam no setor

Mesmo com um momento econômico desfavorável, a fonte solar continua com uma perspectiva muito promissora. Levantamento feito pelo PortalSolar – portal que faz orçamentos e cotações de instalações – mostra que o estado de São Paulo liderou nas consultas feitas ao site entre os meses de agosto e dezembro de 2015. O portal possui o maior banco de dados de empresas de energia solar ativas no país. Ainda de acordo com o levantamento feito pelo site, Minas Gerais vem em segundo e o Rio de Janeiro vem em terceiro.

O levantamento mostra que São Paulo também chega na frente quando se fala nos estados com mais empresas. Minas Gerais novamente vem em segundo, mas o terceiro lugar dessa vez é o do Paraná. Os homens são responsáveis por 80% dos pedidos. Os custos dos sistemas ficam em torno de R$65.000 a R$85.000, para os com potência de 10.0 kWp; de R$52.000 a R$67.000, para os que tem potência de 7.5 kWp e de R$35.000 a R$45.000, para os que tem 5 kWp. Os que tem potência de 3 kWp custam de R$22.500 a R$32.000. Os de 2kWp ficam em média de R$18.000 a R$25.000 e os de apenas 1 kWp podem custar de R$16.000 a R$20.000.

Quem pede a fonte não é tão jovem assim. Na faixa etária, 60% dos pedidos de orçamento são feitos por quem tem entre 31 e 50 anos e 20% da faixa de 51 e 60 anos. Apenas 10% dos pedidos foram feitos por que tem até 30 anos. Os equipamentos solares também seria novidade, uma vez que 85% dos pedidos foram feitos por quem não tem aquecedor solar instalado em casa.

Na potência dos equipamentos, os sistemas mais vendidos são os que tem entre 2 e 5kWp de potência e o que tem de 5 a 15 kWp vem em seguida. Os de até 2 kWp representam 15%. A classe residencial parece ter descoberto o filão: 75% dos pedidos são para residências. O segmento comercial e industrial ficou com 20%. Outra curiosidade é que 80% dos pedidos são para imóveis já em construção, ficando os 20% restantes com os que ainda vão ser construídos. O percentual de 85% de quem pede orçamento é dono do deu imóvel, enquanto os inquilinos são 15%.

Dados da Agência Nacional de Energia Elétrica apontam que o número de conexões para geração distribuída fotovoltaica é de 1.675 de um total de 1.731. Na comparação com 2014, houve um salto de 308%. O estado de Minas Gerais também é o que mais tem conexões, com 333, sendo seguido pelo Rio de Janeiro, com 203 ligações e pelo Rio Grande do Sul, com 186.