06/01/2016

Three Gorges vai focar em geração limpa no Brasil

A chinesa Three Gorges assinou ontem o contrato de concessão das hidrelétricas Jupiá e Ilha Solteira, adquiridas no leilão de 29 usinas antigas realizado no dia 25 de novembro. As duas usinas são operadas atualmente pela Cesp, no rio Paraná. Os empreendimentos têm a capacidade de geração de 4,9 mil megawatts (MW).

“Estamos há apenas dois anos no Brasil, mas com nossa equipe formada e com presença em dez Estados. Nosso interesse no país é trabalhar com energia limpa para contribuir com a sociedade”, disse o presidente do conselho de administração da chinesa, Lu Chun.

A estatal chinesa desembolsará R$ 13,8 bilhões pelo bônus de outorga das duas usinas. “Cumpriremos todas as cláusulas do contrato de concessão. Somos uma empresa de responsabilidade que trabalha para contribuir com a sociedade”, disse Chun.

A companhia opera a maior hidrelétrica do mundo, a Três Gargantas. A megausina está localizada na China, com 22 Gigawatts (GW) de capacidade instalada.

“Estamos consolidando uma grande parceria que fortalecerá o mercado brasileiro”, disse o ministro-interino de Minas e Energia, Luiz Eduardo Barata, durante o evento de assinatura.

As 29 usinas negociadas no leilão renderão R$ 17 bilhões aos cofres do governo federal, sendo que R$ 11 bilhões (65%) foram pagos antes da assinatura dos contratos. Os R$ 6 bilhões (35%) restantes de bônus de outorga devem ser pagos no prazo de 180 dias após assinatura. Barata admitiu que uma das vantagens do novo modelo de leilão foi ter garantido o aumento da arrecadação do governo federal no momento em que a equipe econômica realiza o ajuste fiscal.

O novo prazo de concessão das hidrelétricas é de 30 anos. As usinas somam 6 mil MW de potência instalada. A partir de 2017, 30% da energia produzida poderão ser negociados no mercado livre. O montante de 70% continuará sendo destinado ao mercado das distribuidoras.

Os contratos foram assinados por Barata e os representantes das empresas. No início da tarde, o ministério assinou os contratos das demais usinas com a Celg, Copel, Enel Green Power Brasil, Celesc e Cemig.

Ainda durante o evento de assinatura dos contratos, Barata afirmou que os lotes de transmissão não comercializados nos últimos três leilões serão oferecidos aos poucos ao longo de 2016. Ele afirmou que nova estratégia deve aumentar a atratividade dos projetos. Desde as frustrações dos últimos leilões, o governo começou a rever as estratégias de venda dos lotes de linhas de transmissão.