02/02/2016

Bahia quer inaugurar maior usina solar da América Latina

Depois de Minas Gerais, Bahia lança projeto que prevê produção anual de energia de 500 GWh e se destaca no mercado mundial

Com um dos índices de radiação solar mais altos do mundo, o Brasil está prestes a se destacar internacionalmente no mercado de energias renováveis. Com previsão para começar a operar ainda em 2017, o país receberá a maior usina solar da América Latina.

O projeto, que será instalado na cidade de Tabocas do Brejo Velho, a 800 km de Salvador, recebeu o nome de Ituverana e será desenvolvido pela empresa italiana Enel Green Power. A construção será realizada pela Enerray do Brasil, empresa que pertence à Seci Energia do Grupo Industrial Maccaferri.

Segundo a companhia, a unidade terá capacidade de 254 MW (megawatts) e uma produção anual de energia de 500 GWh (gigawatts/hora).

A escolha pela Bahia se deu porque a região nordeste do país é a mais próxima da linha do Equador, onde não se observam grandes variações de radiação solar durante o dia. A radiação solar na área varia entre 5.700 e 6.100 Wh/m² dia.

Segundo a empresa, o Brasil representa uma grande oportunidade por ser um mercado com perspectivas de crescimento muito significativas a médio e longo prazo. Além disso, espera-se também garantir o desenvolvimento da região – a cidade conta com menos de 15 mil habitantes (segundo o IBGE, 11.430 pessoas) e ainda registra intenso fluxo migratório.
Minas Gerais também prevê grande construção para 2018

Há algum tempo, foi noticiado que o Estado de Minas Gerais também pretendia ter em 2018 a maior usina solar da América Latina. No entanto, a previsão do projeto era de apenas 240 MW de capacidade, contra 254 MW da Ituverana.

Outras cidades e estados também já anunciaram medidas para incentivar a produção de energia renovável. O país, além de potencial solar, se mantém em destaque no mercado eólico.