19/02/2016

Hospital de Câncer de Barretos economiza mais de R$ 1 milhão por ano com energia doada por usinas sucroenergéticas

Despesa mensal do Hospital com energia elétrica passa de R$ 330 mil Desde 2012, o Hospital de Câncer de Barretos (HCB), responsável pelo atendimento diário de mais de 4 mil pessoas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), vem economizando, a cada ano, mais de R$ 1 milhão graças a ação solidária de cinco empresas do setor sucroenergético. Integrantes do Projeto Energia do Bem, as usinas Guarani, São José da Estiva, Pitangueiras, Virálcool – associadas à União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) – e Santa Isabel, sazonalmente doam à instituição uma média de 2.513 MWh de bioeletricidade gerada a partir da biomassa da cana (palha e bagaço), representando até 30% das necessidades anuais por energia elétrica atendidas sem nenhum custo.

Segundo o gerente de engenharia do HCB, Jadis de Santis Júnior, a iniciativa das usinas, além de ajudar o Hospital a se equilibrar financeiramente, traz reflexos positivos nos serviços prestados à população. “A doação minimiza bastante o déficit do Hospital, o que impacta na qualidade do tratamento para os pacientes”, explica. Idealizado há quatro anos pela gestora e comercializadora Comerc Energia, o Projeto Energia do Bem já doou, no período de agosto de 2012 a dezembro de 2015, um total de 8.646 MWh de energia sucroenergética ao HCB, cujo gasto anual com eletricidade alcança cifras superiores à R$ 4 milhões.

Além do aspecto social, o gerente em Bioeletricidade da UNICA, Zilmar José de Souza, destaca o potencial econômico-ambiental da biomassa, particularmente do bagaço e da palha da cana na geração de eletricidade. Além de ser estratégica para a redução das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEEs) no setor de energia elétrica, a biomassa da cana oferece segurança energética ao Brasil. “Em 2015, a geração de energia renovável e limpa pela biomassa evitou o despejo de aproximadamente 10 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera. Neste período, a oferta estimada de mais de 22 TWh pela biomassa ao Sistema Interligado Nacional (SIN) ajudou a poupar 15% das águas nos reservatórios do submercado elétrico Sudeste e Centro-Oeste”, observa.

Energia Premium

Em 2015, a oferta de energia obtida da biomassa teve crescimento estimado de 7%, com um total de geração de mais de 22 TWh, o que equivale ao abastecimento de 11 milhões de residências durante um ano inteiro. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), em termos de capacidade instalada, a bioeletricidade ocupa quase 10% da matriz energética, atrás apenas das fontes hídrica e fóssil.

Hoje, cerca de 80% da capacidade instalada de geração pela fonte biomassa vêm do setor sucroenergético, que emprega o bagaço e a palha da cana para a autossuficiência energética das usinas e ainda tem promovido um crescimento significativo na oferta de excedentes de eletricidade para o SIN.