11/02/2016

Novas turbinas de vento de 50 megawatts teriam pás de hélices de 200 metros de comprimento

Como a necessidade de energia renovável se torna cada vez maior, engenheiros de todo o mundo enfrentam o desafio de projetar novas tecnologias sustentáveis, capazes de gerar energia com maior eficiência e menor custo.

Entre aqueles que tentam enfrentar esta tarefa está o Sandia National Laboratories, em Albuquerque, que lançou detalhes de seu conceito de design mais recente: uma turbina eólica offshore de extrema escala, capaz de gerar 50 megawatts de energia, com pás de rotação de mais de 200 metros de comprimento.

Apelidada de Segmented Ultralight Morphing Rotor (SUMR), as novas turbinas são projetadas para suportar ventos extremos experimentados durante furacões e outros eventos climáticos de grande porte, com a capacidade de dobrar tornando-se mais fortes, a fim de evitar que sejam danificadas durante vendavais.

O design também é inspirado na maneira em que as palmeiras se movem durante tempestades, com troncos feitos de secções cilíndricas que permitem à estrutura dobrar-se sem comprometer a resistência ou a estabilidade.

Atualmente, as maiores turbinas eólicas nos Estados Unidos são capazes de gerar 8 megawatts de potência, usando lâminas rotativas de 80 metros de comprimento. Produzir turbinas maiores representa um maior desafio, uma vez construção e manutenção de lâminas custam mais caro por estarem em uma altura considerável.

No entanto, Sandia diz que seu novo design irá proporcionar uma maior estabilidade, que conduz a uma redução no esforço, reduzindo assim os custos de manutenção e sendo mais eficiente em geração de energia em relação ao preço.

A fabricação das lâminas também constitui uma série de grandes desafios e propostas atuais que envolvem construí-las em partes antes de montá-las no local, a fim de facilitar o transporte.

Todd Griffith, que liderou o projeto para criar as enormes pás das hélices, explicou como o aumento do tamanho permite às turbinas “tirarem proveito de economias de escala”.

“Os Estados Unidos têm um grande potencial de energia eólica offshore, mas as instalações offshore são caras. Por isso, turbinas maiores são necessárias para capturar essa energia a um custo acessível”, disse ele em um comunicado.

Se implantado o projeto, as novas turbinas poderiam ajudar o governo americano a atingir sua meta de gerar 20% de sua energia a partir do vento até 2030. Se ele é financeiramente viável, no entanto, continua a ser discutido.