15/02/2016

ONS revisa para baixo a afluência em todo o país

Apesar de retração, expectativa é de que chuvas fiquem acima de 80% da média histórica

A previsão de vazões para o mês de fevereiro recuou em quase todo o país, mesmo assim ficou em um patamar acima de 80% da média de longo termo. De acordo com a revisão 2 do Programa Mensal de Operação para este mês, a projeção para o Sudeste/Centro-Oeste recuou de 89% para 87% da média. No sul, a queda foi mais acentuada, 14 pontos porcentuais a menos, para 154%, no Nordeste a nova previsão é de 82% da média histórica ante os 96% esperados na semana passada. Enquanto isso, no Norte, a perspectiva passou de 111% para 85% da MLT ao final de fevereiro.

Apesar dessa queda o custo marginal de operação médio não apresentou elevação significativa, está em R$ 1,19/MWh à exceção do NE que ainda continua descolado, estabelecido em R$ 165,70, aumento de 48,9% na comparação com a semana passada. O patamar de carga pesada no NE está em R$ R$ 178,78/MWh, a média em R$ 180,76/MWh e a leve em R$ 139,88/MWh. No restante do país os patamares pesado e médio estão com valores equalizados a R$ 1,23/MWh e o leve a R$ 1,12/MWh.

Ao mesmo tempo, a previsão de carga no mês reverteu a tendência de queda e agora no sentido contrário com uma perspectiva de crescimento de 0,3% na comparação com o mesmo mês de 2015. Isso deve-se à projeção de crescimento em todo o país, menos no NE, que segue trajetória de queda de 3,5%. No SE/CO está previsto crescimento de 0,9%, no Sul é de 0,4% e no Norte a expansão esperada é de 4,3%. Vale lembrar que a base de comparação dessa última região ainda não contava com a integração de Macapá ao SIN.

Assim como o movimento das afluências, a estimativa do ONS é de que o nível de armazenamento esperado para os reservatórios ao final de fevereiro seja menor do que o previsto na última revisão do PMO. No SE/CO a projeção é de 51,5% ante os 52,4% anteriores, no Sul está em 97%, queda de 0,3 ponto porcentual. Já no NE a nova estimativa é de 31,1% ante os 34,9% da semana passada e no Norte a projeção é de encerar o mês com 51,9%, 18,6 pontos porcentuais a menos ante a ultima previsão.

A geração térmica para a semana operativa que se inicia no sábado 13 de fevereiro é de 9.846 MW médios, sendo 2.677 MW médios por ordem de mérito,2.931 MW médios por inflexibilidade, 54 MW médios por restrição elétrica e 4.183 MW médios por garantia energética.

A previsão é de que no início da semana operativa seja verificada chuva fraca nas bacias dos rios São Francisco e Paranaíba. Já no decorrer da semana a intensidade das chuvas estará entre fraca a moderada nas bacias dos subssistemas Sul e Sudeste/ Centro Oeste e no alto São Francisco a partir do dia 18. A bacia do Tocantins continuará a apresentar chuva fraca e isolada.
Para checar a evolução do CMO e gerar gráficos com múltiplos parâmetros acesse o Monitor Energia disponível para assinantes do CanalEnergia Corporativo