03/03/2016

China começará a construir sua primeira usina nuclear flutuante

Navio, que terá capacidade de disponibilizar energia a projetos de prospecção de petróleo e gás e para o desenvolvimento de ilhas e áreas remotas deve estar operacional em 2019

A China deve iniciar no final deste ano a construção de sua primeira usina nuclear flutuante em águas marinhas, revelou nesta quarta-feira, 2, o presidente da Corporação Nuclear da China, Sun Qin, citado pela agência oficial “Xinhua”.

A usina começará a operar em 2019 e sua principal missão será disponibilizar energia a projetos de prospecção de petróleo e gás, assim como ao desenvolvimento de “ilhas e áreas remotas”, ressaltou Sun.
Corporação Nuclear da China divulgou conceito de sua primeira usina nuclear flutuante

Corporação Nuclear da China divulgou conceito de sua primeira usina nuclear flutuante

A China tem atualmente 30 reatores nucleares em operação e mais 24 em construção, todos eles em terra, embora um relatório do governo chinês de janeiro já tenha ressaltado que o país, em seus planos de diversificar suas fontes de energia e reduzir a dependência do carvão, estudava construir centrais atômicas no mar.

Até agora, só a Rússia tinha mostrado dispor da tecnologia necessária para estas usinas nucleares – e o consórcio atômico russo, Rosatom, negociou em 2012 a colaboração com a China neste sentido -, mas segundo Sun o design da nova usina atômica é propriedade intelectual de sua companhia.

A Rússia porá neste ano em funcionamento a primeira usina nuclear flutuante da história, que abastecerá a inóspita região do Ártico e será capaz de se deslocar no mar e atracar em qualquer porto.