03/03/2016

CMSE mantém risco de déficit zero para março nas regiões SE/CO e NE

No mesmo período do ano passado, risco era de 6,1% e de 1,2%, respectivamente, nessas regiões

Uma semana depois de aprovar em reunião extraordinária o desligamento de mais 14 usinas termelétricas a partir de 1º de março, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico manteve a avaliação de risco de déficit zero para as regiões Sudeste/Centro-Oeste e Nordeste, com base nas 83 séries do histórico de vazões, na operação térmica por ordem de mérito e no despacho de usinas termelétricas com Custo Variável Unitario de R$250/MWh. Em março do ano passado, o risco de faltar energia pelo critério do histórico era de 6,1% no subsistema SE/CO e de 1,2% no subsistema NE.

“Com base nas análises efetuadas, observa-se que as condições de suprimento de energia do Sistema Interligado Nacional melhoraram em relação ao mês anterior”, afirma nota divulgada pelo Ministério de Minas e Energia nesta quarta-feira, 2 de março, após a reunião mensal do CMSE. Na simulação do desempenho do sistema com base nas 2.000 séries sintéticas de afluências e considerando a geração térmica por ordem de mérito e a operação de usinas com CVU de até R$250/MWh em março de 2016, o risco de qualquer déficit de energia é de 0,2% (Sudeste/Centro-Oeste) e 0% (Nordeste).

A avaliação do comitê é de que há equilíbrio estrutural do sistema em razão da entrada de novas instalações de geração e transmissão. Há, segundo o CMSE, sobra estrutural em torno de 12.899 MW médios para atender a carga prevista de 64.573 MW médios. Entraram em operação este ano 1.463 MW, dos quais 480 MW nos últimos 30 dias. A estimativa até o fim do ano é de entrada no sistema de 7.223 MW de capacidade de geração.

Em fevereiro, choveu acima da média nas bacias dos rios Uruguai, Iguaçu e Paranapanema, e abaixo da média nas demais bacias do Sistema Interligado. As afluências ficaram em 86% no Sudeste/Centro-Oeste, 92% no Nordeste, 166% no Sul e 68% no Norte do país. A percepção de que o cenário hidrológico do período 2015/2016 é mais favorável que o do período úmido 2014/2015 fez com que o comitê optasse por desligar 21 usinas térmicas a partir do último dia 1º. Em abril, a bandeira tarifaria será verde e existe a expectativa de que outros 2mil MW possam ser desligados.

Em 29 de fevereiro, o nível de armazenamento do reservatório equivalente do SE/CO atingiu 50,9%. O Programa Mensal de Operação de março prevê que os reservatórios equivalentes chegarão ao final do mês com 57% no SE/CO, 34% no NE, 85% no Sul e 57% no Norte. A situação é diferente de 2015. No inicio do ano passado, o parque térmico operava a plena carga, o que incluía  usinas com CVU acima de R$1.100/MWh. Em agosto, foram desligadas usinas térmicas com CVU acima de R$600/MWh.