03/03/2016

Consumo de combustíveis no Brasil caiu 1,9% na comparação entre 2014 e 2015

As vendas de combustíveis no mercado brasileiro em 2015 totalizaram 141,811 bilhões de litros, o que representa uma redução de 1,9% em relação aos 144,541 bilhões de litros registrados em 2014. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 2 de fevereiro no XI Seminário de Avaliação do Mercado de Derivados de Petróleo e Biocombustíveis da ANP, realizado no Hotel São Francisco, no Centro do Rio de Janeiro.

Houve redução de 4,7% na comercialização de óleo diesel B na comparação entre 2014 e 2015, de 60,032 bilhões de litros para 57,211 bilhões de litros. O aumento nas vendas de biodiesel foi de 17,4%, de 3,410 bilhões de litros em 2014, para 4,005 bilhões de litros em 2015. Esse crescimento foi devido ao aumento do teor de adição de biodiesel ao óleo diesel A em 2014, de 5% para 6% em julho e de 6% para 7% em novembro, em contraste com o ano de 2015, quando em todo o período houve vigência da mistura de 7%.

A comercialização de gasolina C foi de 41,137 bilhões de litros, uma queda de 7,3% em relação aos 44,364 bilhões de litros relativos a 2014. Além disso, o consumo de etanol hidratado, que havia sido de 12,994 bilhões de litros em 2014, aumentou para 17,863 bilhões de litros em 2015, o equivalente a um crescimento de 37,5%. O etanol total (soma de anidro – etanol misturado à gasolina – e hidratado – etanol combustível) teve elevação de 19,6% em 2015 frente a 2014, de 24,085 bilhões de litros para 28,796 bilhões de litros.

Ainda segundo os dados divulgados pela ANP, as vendas de gás liquefeito de petróleo (GLP) caíram 1,2%, de 13,410 bilhões de litros para 13,249 bilhões de litros. Houve redução na venda querosene de aviação (QAV) de 1,5%, de 7,470 bilhões de litros para 7,355 bilhões de litros. No óleo combustível houve queda de 20,4%, de 6,195 bilhões de litros para 4,932 bilhões de litros. O gás natural veicular (GNV), por fim, apresentou redução de 2,8% do volume comercializado, passando de 4,960 milhões de m³/dia para 4,820 milhões de m³/dia.