09/03/2016

Região de Marília ganha subestação e usinas podem aumentar produção de energia a partir da cana de açúcar

A Secretaria de Energia e Mineração está trabalhando para fomentar a produção de energia por meio da biomassa de cana de açúcar. O programa São Paulo na Rede Elétrica foi criado justamente para incentivar as usinas de todo o Estado a ampliarem sua geração de energia e disponibiliza-la na rede elétrica.

Nesta quarta-feira, 9 de março, o secretário de Energia e Mineração de São Paulo, João Carlos Meirelles, participou da inauguração da nova subestação da Copel Energia, no município de Paraguaçu Paulista, que reforçará a distribuição de energia elétrica em parte da região de Assis e Marília.

“A Secretaria de Energia realizou um estudo mapeando as usinas existentes no Estado e identificando sua produção, consumo e exportação de energia excedente para a rede elétrica. Os municípios próximos a Assis contam com grandes usinas que podem ampliar a produção de energia. Vamos trabalhar em conjunto para que os usineiros gerem mais energia a partir da biomassa colaborando com a segurança energética e com o meio ambiente no Estado de São Paulo”, explica Meirelles.

Foram analisadas 166 usinas, que assinaram o Protocolo Agroambiental, sendo que 14 estão localizadas na região de Marília. Destas, nove já estão conectadas à rede de distribuição de energia elétrica.

As nove usinas juntas possuem capacidade instalada de cerca de 320 MW e exportam 174 MW. Elas estão sendo incentivadas a ampliarem sua produção de bioenergia a partir da queima do bagaço e da palha da cana de açúcar. As outras cinco usinas ainda precisam se conectar a rede para exportar energia.

A nova subestação transformadora de energia em Paraguaçu Paulista opera em 230 kV e conta com três transformadores monofásicos de 50 MVA cada, somando 150 MVA de potência de transformação total. A instalação conta ainda com um transformador reserva para situações emergenciais.

Além da subestação, foi instalada pela Copel uma linha de transmissão com 41,5 km de extensão que conecta Paraguaçu Paulista II a outra subestação já existente no município vizinho de Assis.

O conjunto de obras recebeu cerca de R$ 58 milhões em investimentos da empresa e cumpre a função de melhorar o escoamento da energia proveniente de usinas térmicas à biomassa existentes na região, atendendo ao aumento da demanda por eletricidade registrado principalmente nos municípios de Presidente Prudente, Assis e Salto Grande.

Região de Marília

A Região Administrativa de Marília possui 51 municípios, com uma população de cerca de 960 mil habitantes. Dados do Anuário Estatístico de Energéticos do Estado de São Paulo, publicado pela Secretaria de Energia e Mineração, mostra que em 2014 a região consumiu 2,16 milhões de GWh, equivalente a 1,6% do consumo de eletricidade no Estado.

Usina solar e eólica

O secretário estadual de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles, vistoria nesta quinta-feira, 10 de março, as obras de conclusão da usina de energia fotovoltaica e eólica da Cesp – Companhia Energética de São Paulo, em desenvolvimento na hidrelétrica Engenheiro Sergio Motta (Porto Primavera), no município de Rosana.

Este é o primeiro projeto de usina solar flutuante instalado em lago de usinas hidrelétricas no mundo, que permite aproveitar as subestações e as linhas de transmissão das hidrelétricas e a área sobre a lâmina d’água dos reservatórios. Projetos similares ainda estão sendo iniciados nas cidades de Balbina, no Amazonas, e em Sobradinho, na Bahia.