15/04/2016

Região Sudeste cria fórum náutico para fomentar o setor

O Fórum Náutico da Região Sudeste foi lançado nesta sexta-feira, 15 de abril, durante o Rio Boat Show, evento que ocorre no Rio de Janeiro até domingo, dia 17. O Fórum será coordenado pelo chefe de gabinete e relações institucionais da Secretaria de Energia e Mineração de São Paulo, Marco Antonio Castello Branco, que também lidera o Fórum Náutico Paulista.

Os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo já haviam criado suas instâncias específicas com o objetivo de analisar, promover, desenvolver e elevar a competitividade do setor. Agora, com a criação do Fórum Náutico do Sudeste, esses estados e Minas Gerais planejarão de forma organizada as ações da área.

“Vamos trabalhar os quatro estados de maneira coordenada para alavancar vendas, aumentar a geração de empregos, formar mão de obra especializada, promover a melhoria da infraestrutura de rotas náuticas e definir um marco regulatório para o ambiente náutico”, destaca Castello Branco.

Será prioridade a atuação do Fórum para a criação de um ambiente institucional favorável ao desenvolvimento das estruturas de apoio através das políticas públicas e do zoneamento do espaço marítimo e aquático.

Com o protocolo assinado no evento, os integrantes do Fórum assumem o compromisso de participar efetivamente das reuniões, compartilhar conhecimento e ações de cada segmento regional, intensificar as discussões de interesse comum, planejar e desenvolver ações conjuntas e a criação de um ambiente institucional favorável ao desenvolvimento do setor náutico.

Além de representantes do setor, participaram do encontro o coordenador do Fórum Náutico Paulista, Marco Antonio Castello Branco, a representante do governo do Espírito Santo, Pollyana Lopes, o secretário de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, Altamir de Araújo Rôso Filho, e Carlos Roberto Nate, diretor do Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio.

Sobre o setor náutico

Atualmente, a Região Sudeste possui 40 estaleiros que geram mais de 83 mil empregos diretos e indiretos. Os quatro estados são responsáveis por aproximadamente 50% da produção da frota náutica. Em 2014, o mercado movimentou US$ 700 milhões, importou 204 embarcações e vendeu 6.100 jets.