04/05/2016

Capacidade instalada de geração de energia atinge 142.610 MW em março

Em março, 351,32 MW de capacidade instalada nova entraram em operação

No mês de março de 2016 a capacidade instalada total de geração de energia elétrica do Brasil atingiu 142.610 MW. Nos 12 meses anteriores, houve um acréscimo de 7.265 MW, sendo 2.735 MW de geração de fonte hidráulica, de 1.704 MW de fontes térmicas, 2.818 MW de fonte eólica e 8 MW de fonte solar. Os dados são do Boletim Mensal de Monitoramento do Setor Elétrico, divulgado nesta terça-feira (03/05) pelo Ministério de Minas e Energia (MME).  

Apenas no mês de março, entraram em operação comercial 351,32 MW de capacidade instalada de geração, 165,0 km de linhas de transmissão e 2.100 MVA de transformação na Rede Básica. Em 2016, a expansão do sistema totalizou 1.687,78 MW de capacidade instalada de geração, 455,1 km de linhas de transmissão de Rede Básica e conexões de usinas e 3.840 MVA de transformação na Rede Básica.

De acordo com o Boletim, a produção acumulada de energia elétrica no Brasil no período de fevereiro de 2015 a janeiro de 2016 atingiu 535.982 GWh. Apenas no mês de janeiro de 2016, a geração hidráulica correspondeu a 76,5% do total gerado no Brasil, 5,0 pontos percentuais acima do verificado no mês anterior. A participação da geração eólica, que é tipicamente sazonal, teve recuo, passando de 4,8% em dezembro de 2015 para 3,0% em janeiro de 2016. Já as usinas térmicas, em termos globais,  reduziram sua participação em 3,2 pontos percentuais, registrando 20,5% contra os 23,7% verificados no mês anterior.

No mês de março, o nível de armazenamento dos reservatórios aumentou em todos os subsistemas. No mês, a contribuição da produção térmica se reduziu, com cerca de 1.600 MWmédios a menos do que o verificado no mês anterior.

O Boletim Mensal de Monitoramento do Sistema Elétrico Brasileiro é um documento elaborado pelo Ministério de Minas e Energia com informações atualizadas e consolidadas sobre a operação eletroenergética no Brasil, permitindo o registro e acompanhamento de temas relevantes do Setor Elétrico, tais como a expansão e o desempenho dos sistemas de geração, transmissão e distribuição, as condições hidrometeorológicas e a política operativa adotada, o comportamento do mercado consumidor e as ocorrências de maior impacto ao Sistema Elétrico Brasileiro (SEB).