30/05/2016

Fernando Coelho Filho anuncia novos nomes para o ministério e EPE

Luiz Barroso será presidente da EPE e Eduardo Azevedo, secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do MME

O ministro de Minas e Energia, Fernanco Coelho Filho, anunciou nesta segunda-feira, 30 de maio, que Luiz Augusto Barroso presidirá a Empresa de Pesquisa Energética. Também foram confirmados os nomes dos secretários de Planejamento e Desenvolvimento Energético, Eduardo Azevedo, e de Geologia e Mineração, Vicente Lôbo. Para a secretaria-executiva, o ministro já havia anunciado Paulo Pedrosa, que está se descompatibilizando de atividades anteriores para formalmente integrar a equipe.

Na EPE, Barroso terá como missão buscar um reposicionamento da entidade para além da sua atuação já consolidada, com importante papel nos leilões de energia e pesquisa, se tornando um espaço destinado a pensar de forma estratégica o setor energético, trazendo para o Brasil o conhecimento de ponta gerado internacionalmente sobre o tema. “Agradeço enormemente ao Barroso, que entendeu nossa proposta de construir um ambiente setorial propício aos investimentos, alinhada com a visão do presidente interino Michel Temer de promover a reinstitucionalização do país. Com sua expertise e experiência, Barroso ajudará no reerguimento e dinamização do setor com base em credibilidade, transparência, independência e eficiência”, afirmou Coelho Filho.

O ministro agradeceu o engajamento dos novos secretários e de Barroso ao aceitarem o convite para compor o secretariado do MME e o time de gestores dos órgãos vinculados ao ministério. Coelho Filho agradeceu também o apoio que vem recebendo de técnicos do setor com quem tem conversado e das entidades e associações do setor energético, que vêm oferecendo sua visão e contribuindo com o debate de mão dupla sobre as propostas, para criação de uma nova base no setor, calcada na meritocracia e em princípios sólidos, com aperfeiçoamento da governança.

“Dependemos de todos, inclusive de fora do governo, nessa visão de que podemos aprimorar o setor. Isso depende de todos, com mais eficiência, competência, para ajudarmos a trazer resultados para a economia do país”, destacou Coelho Filho.
O futuro presidente da EPE vai preparar sua transição para ocupar o cargo, interrompendo atividades privadas e consultorias internacionais. Em respeito às pessoas e à instituição, o ministro Fernando Coelho Filho solicitou que a direção atual da EPE permaneça no cargo, preparando um processo de transição seguro.
Luiz Barroso é matemático, com doutorado em matemática aplicada (otimização) ao setor elétrico. Atualmente, é diretor executivo da PSR, consultoria na qual atua há cerca de 18 anos, liderando estudos de planejamento, regulação, finanças, gestão de riscos e comercialização de energia no Brasil e em mais de 30 países. Ele é ainda pesquisador associado do Instituto de Investigación Tecnológica da Universidad Pontificia Comillas na Espanha, leciona na Escola de Regulação de Florença e foi professor visitante de diversas universidades no mundo, incluindo o MIT.

Já Eduardo Azevedo é formado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Mestre em Engenharia de Produção pela mesma instituição e pós-graduado em Comercialização de Energia pela Universidade de Pernambuco (UPE). Entre 2010 e 2016, ocupou o cargo de Secretário Executivo de Energia do Governo de Pernambuco, onde foi responsável pela realização do primeiro leilão estadual de energia elétrica de fonte solar fotovoltaica no Brasil, que viabilizou a instalação do primeiro complexo no país. Desde 2013, Azevedo é o vice-presidente de Energias Renováveis do Fórum Nacional de Secretários Estaduais de Minas e Energia.