24/05/2016

Grupo chinês quer montar planta de tratamento de resíduos sólidos no Estado de São Paulo

O diretor do grupo Jinjiang para o Brasil, Tao Yong, apresentou nesta terça-feira, 24 de maio, na sede da Secretaria de Energia e Mineração a estrutura completa de funcionamento de uma planta de tratamento de resíduos sólidos.

A empresa está em sua terceira geração de tecnologia do tratamento de lixo e opera atualmente 30 usinas que tratam em média 50 mil toneladas de resíduos sólidos por dia na China. “O Brasil tem potencial e nós queremos implantar no país o tratamento adequado para o lixo urbano e o Estado de São Paulo é o ponto de partida para essa evolução”, disse Tao.

O diretor explicou que por meio da separação e secagem do material o potencial calorífico para geração de energia dobra podendo gerar 280 kw por tonelada de lixo. Essa capacidade despertou interesse do presidente da Emae, Luiz Carlos Ciocchi. “Nós temos total interesse em estreitar esse relacionamento e desenvolver essa parceria seja na forma de Parceria Público Privada ou iniciativa própria”.

Para o secretário-adjunto de Energia e Mineração, Ricardo Toledo Silva, é preciso organizar e estruturar toda região metropolitana de São Paulo para coleta e correta destinação dos resíduos sólidos. “A sociedade exige o tratamento adequado dos resíduos sólidos urbanos e nós precisamos incentivar esses projetos e parcerias que melhorem a qualidade de vida da população. O lixo deixa de ser problema e vira solução quando tratado adequadamente e ainda, de quebra, pode contribuir muito para a questão energética no país”.

A reunião foi um desdobramento do workshop organizado pela Secretaria de Meio Ambiente e pela Cetesb, onde o secretário-adjunto, Ricardo Toledo Silva, apresentou alternativas de uso dos resíduos sólidos para a produção de energia.

O encontro contou com a participação do assistente executivo da vice-presidência da Cetesb, Geraldo Amaral Filho, Milton Norio Sogabe, gerente de projetos especiais da diretoria de controle da Cetesb e dos subsecretários da Secretaria de Energia e Mineração, Henrique Ferraz, José Jaime Sznelwar e Antonio Celso de Abreu Jr, além do tradutor Charles Wang.