02/05/2016

Prêmio ANP de Inovação Tecnológica: inscrições começam nesta segunda

As inscrições para o Prêmio ANP de Inovação Tecnológica – Edição 2016 começam nesta segunda (2/5). Podem concorrer instituições de ciência e tecnologia (ICT) nacionais e empresas brasileiras que tenham desenvolvido bens e/ou serviços inovadores para a cadeia produtiva do setor, já inseridos ou com alto potencial de inserção no mercado, e que tenham contribuído para o aumento do fornecimento local de bens e serviços na indústria do petróleo (conteúdo local). Os projetos inscritos devem ter sido financiados com pelo menos 20% de recursos da Cláusula de P,D&I que constam dos contratos para exploração e produção de petróleo e gás natural.

As categorias previstas são: Inovação Tecnológica desenvolvida no Brasil por instituição de ciência e tecnologia (ICT) nacional em colaboração com empresa petrolífera; Inovação Tecnológica desenvolvida no Brasil por micro, pequena ou média empresa do segmento de petróleo, gás natural e biocombustíveis em colaboração com empresa petrolífera; Inovação Tecnológica desenvolvida no Brasil por empresa fornecedora de grande porte do segmento de petróleo, gás natural e biocombustíveis em colaboração com empresa petrolífera. Os vencedores receberão um troféu.

A avaliação dos projetos será realizada com base em quatro critérios: Originalidade, Aplicabilidade e Funcionalidade, Contribuição Científica e Tecnológica do Projeto, Conteúdo Local do Projeto. As inscrições são gratuitas e deverão ser efetuadas a partir das 9h do dia 2 de maio de 2016 até às 18h do dia 29 de maio de 2016.

Cronograma do Prêmio ANP Inovação Tecnológica – Edição 2016

Prazo de inscrição: de 2 de maio a 29 de maio de 2016
Prazos de julgamento: de 30 de maio a 24 de junho de 2016
Comunicação aos finalistas: 27 de junho a 01 de julho de 2016
Cerimônia de premiação: prevista para o final de julho de 2016

Edição 2015

O Prêmio de Inovação Tecnológica da ANP – Edição 2015 foi entregue a três projetos, entre os mais de 50 inscritos em três categorias. o Sistema autônomo de limpeza e inspeção de Risers (AURI) desenvolvido pela PUC-Rio e Petrobras, a Boca de Sino Multifuncional (BSMF), da Petrobras, COPPETEC – COPPE/LACEO e Caldex e a Boia de Sustentação de Risers (BSR), projeto da Petrobras, Coppe/UFRJ, IPT, Subsea7 do Brasil.