01/07/2016

Coelho Filho diz que haverá apenas mais um leilão em 2016

Certame acontecerá em outubro com formato e fontes participantes ainda a serem definidos

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, disse que haverá apenas mais um leilão neste ano. Segundo ele, o certame deverá ocorrer em outubro, na data em que já existe um certame marcado do tipo Reserva. No entanto, o leilão não necessariamente será nessa modalidade. O leilão de Reserva que aconteceria em julho foi cancelado, como já havia antecipado a Agência CanalEnergia.

“A gente tinha dois leilões previstos: um para julho e outro para outubro. […] mas a gente tem um problema que precisa endereçar primeiro, um problema grande de sobrecontratação. Então, a EPE e técnicos do ministérios estão ainda estudando e, possivelmente, teremos apenas um único leilão”, declarou o ministro, que participou nesta quinta-feira, 30 de junho, do Brasil Solar Power, no Rio de Janeiro.

Segundo ele, seria um contrassenso, nesse momento de sobreoferta, contratar mais energia. No entanto, ele frisou que o país não correrá o risco de retomar o crescimento e não ter energia. “Estamos atentos a essa curva do crescimento da demanda e da oferta energética, mas a gente vai fazer isso de forma calma, estudada”, salientou. Coelho destacou que executivos ainda estão chegando a equipe, como o novo presidente da Empresa de Pesquisa Energética, Luiz Barroso, que de acordo com o ministro, já vem participando das reuniões para poder endereçar o modelo a ser adotado.

“Vamos ter ainda um leilão esse ano, o de julho não irá acontecer e o que está previsto em outubro acontecerá em outubro, possivelmente um pouco maior. Evidentemente que a gente ainda vai definir quais são as fontes. A gente está estudando não só a questão da geração, mas o custo de transporte dessa energia e, evidentemente que ao fazer essas considerações, a gente vai abrir a oportunidade para as mais diversas fontes”, disse.

O ministro contou ainda que está sendo formatado um projeto para levar a energia solar para toda a Esplanada dos Ministérios e não apenas ao MME.”Posteriormente, pretendo fazer um projeto para colocar energia solar no Congresso Nacional também, que é a minha casa de orgiem”, contou Coelho.