17/08/2016

CPFL pode sair da Bolsa após acordo com empresa da China

Fonte: Folha de S. Paulo

A chinesa State Grid se prepara para comprar o controle da CPFL, um dos maiores grupos privados de energia do país, por cerca de R$ 25,5 bilhões. Se confirmado, o negócio pode levar ao fechamento de capital da companhia brasileira, segundo fontes envolvidas na transação.

Hoje, a CPFL tem como sócios a Previ (fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil), com 29,4% de participação, a Camargo Corrêa (23,6%) e a Bonaire Participação (15,1%), que reúne fundos de pensão como o Petros (da Petrobras). As demais ações (31,9%) pertencem a acionistas minoritários.

Para comprar integralmente a companhia, a State Grid primeiro ofereceu R$ 5,85 bilhões pelas ações da Camargo Corrêa —o contrato deve ser assinado até o final da próxima semana. Em seguida, cópias do contrato serão submetidas às autoridades regulatórias –Cade, CVM e Aneel– e também para Previ e Bonaire.

Pelo acordo de acionistas, eles têm direito de preferência na compra da participação da Camargo Corrêa mas, ainda segundo fontes envolvidas nas negociações, não só deverão abrir mão desse direito como venderão sua parte para a State Grid.

Representantes do grupo chinês dizem que já conversaram com os dois sócios e prometeram comprar a fatia deles nas mesmas condições da Camargo.

Os fundos querem vender sua participação porque têm de cobrir rombos bilionários em suas contas e veem nesse negócio uma oportunidade de lucro.

Oficialmente, Previ e Bonaire afirmam que não receberam proposta dos chineses e, por isso, não comentariam.

minoritários

Caso essa etapa seja vencida, a State Grid fará uma oferta aos acionistas minoritários pagando o mesmo valor por ação –R$ 25. No início de julho, quando a oferta ficou pública, as ações eram negociadas a R$ 20.