02/09/2016

Geração hidráulica cresce 6,8% em agosto

Fonte: Canal Energia

usina hidroletrica

A Câmara de ComercialIzação de Energia Elétrica informou que dados preliminares de medição coletados entre os dias 1º e 30 de agosto apontam aumento de 6,8% na produção das usinas hidráulicas, incluindo as pequenas centrais hidrelétricas. Os 43.161 MW médios entregues ao Sistema Interligado Nacional pela fonte representam 70,5% do total gerado no período (61.202 MW médios), índice 4.4 pontos percentuais superior ao registrado em 2015.

Segundo a CCEE, a geração eólica registrou 29% de incremento com 4.499 MW médios produzidos frente aos 3.482 MW médios entregues no ano anterior. Já as térmicas tiveram queda de 21,5% no desempenho na comparação com agosto de 2015. A retração ocorre, explicou a CCEE, devido à menor produção das usinas a óleo (-75,5%), a gás (-32,7%) e a carvão mineral (-13%). Ao todo, a geração teve aumento de 0,1% frente ao mesmo período do ano passado.

O consumo de energia no SIN, por sua vez, alcançou 58.995 MW médios com queda de 3,8% no mercado cativo e aumento de 11,9% no Ambiente de Contratação Livre. A CCEE informou que a grande onda de migração de empresas para o mercado livre impactou no aumento de 8,9% no consumo de energia entre os consumidores livres e de 54% entre os consumidores especiais. Sem a contabilização destas novas unidades consumidoras, há um crescimento de 3% no consumo entre os livres e redução de 5,7% entre os especiais.

Já a análise dos ramos da indústria monitorados pela CCEE, incluindo autoprodutores, consumidores livres e especiais, indica maiores índices positivos de consumo nos setores de comércio (+52,7%), serviços (+36%) e alimentos (+29,5%) por conta da migração. Os setores com queda no consumo em agosto foram os de extração de minerais metálicos (-17%) e transporte (-3,2%).

O CCEE também apresentou estimativa de que as hidrelétricas integrantes do Mecanismo de Realocação de Energia gerem, até a quinta semana de agosto, o equivalente a 86,2% de suas garantias físicas, ou 42.953 MW médios em energia elétrica. Para fins de repactuação do risco hidrológico, este percentual foi de 82,4%.