12/09/2016

ONS: revisão da carga para o mês passa a ficar negativa

Fonte: Canal Energia

Indicação do PMO era de crescimento de 1% e agora aponta para queda de 0,8% na comparação com setembro de 2015

A segunda revisão semanal do Programa Mensal de Operação do mês de setembro, feito pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico apresentou uma reversão de expectativa de carga que passou do campo positivo para o negativo na comparação com mesmo mês do ano passado. A nova previsão revelada pelo operador é de uma retração de 0,4% na demanda, a perspectiva da semana passada era de aumento de 0,8% e na primeira versão do PMO estava em crescimento de 1%.
O maior impacto vem da perspectiva de queda de 1,4% na demanda da região de maior consumo no país, o Sudeste/Centro-Oeste ante previsão de estabilidade. Houve recuo na previsão para o Sul que caiu de crescimento de 3,6% para 3,1%, inversão no Nordeste onde se esperava inicialmente expansão de 2,1% e agora está em queda de 1,1%, além de redução na taxa de crescimento no Norte que passou de 1,5% para 0,8%.

Já em termos de afluências houve novo recuo das previsões de energia natural afluente para o acumulado até o final do mês no SE/CO, passou de 121% da média de longo termo para 107%. Já no Sul também continua acima da MLT com 112% ante os 140% esperados semana passada. No Nordeste, a situação que era crítica com 37% da média histórica , ficou pior, pois a projeção agora é de 33% e no Norte houve o único avanço, mesmo que de pequeno impacto, passou de 48% para 50%.
Essa combinação entre ENAs e demanda apresentou uma leve variação nas perspectivas de armazenamento máximo no país. No SE/CO houve recuo ante o esperado na semana passada. Nessa base de comparação passou de 40,8% para 40,6% do nível operativo. No Sul o sentido foi inverso, aumentando de 92,2% para 93,9%. No Nordeste a previsão é a mesma com 14,6% e no Norte a elevação ficou em 0,2 ponto porcentual, indo para 39,9%.

O CMO médio está equacionado nos submercados NE e Norte em R$ 129,11/MWh, no SE/CO está em R$ 128,35/MWh e no Sul em R$ 115,44/MWh. O valor para o patamar pesado é de R$ 133,83/MWh para todo o país, esse mesmo valor foi definido para a carga média no NE e Norte enquanto no SE/CO está em R$ 132,38 e no Sul em R$ 129,93/MWh. Já na Leve somente o sul apresenta valor de R$ 88,87/MWh enquanto nos demais submercados está a R$ 120,84/MWh.